, com a participação de todas as demais, para pressionar os dirigentes pela solução mais rápida da tragédia que completou um ano da morte dos dez jogadores da base, que estavam nos alojamentos do Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, na madrugada do sábado, 8 de fevereiro de 2019. O protesto será feito hoje (10), às 19 horas, na Praça Claudio Coutinho, a 100 metros do clube.

INACEITÁVEL – Os torcedores da Fla-Manguaça, Império Rubro-Negro, Urubuzada, Torcida Jovem e Raça Rubro-Negra, ao emitirem a nota de convocação, ressaltaram: “Não podemos mais nos calar diante de tamanho descaso. As torcidas organizadas do Clube de Regatas do Flamengo, que não são passageiras, ao contrário de muitos dirigentes, vão até o fim para que a solução seja encontrada com mais rapidez”.

DIGNIDADE – No entender dos integrantes das torcidas organizadas, “o Flamengo está sendo muito lento e pouco interessado na solução de caso tão grave”. Todos os que dirigem e fazem parte das torcidas dizem que “é inaceitável a postura com que o presidente do clube está analisando o problema: um descaso e uma indiferença que provocam a nossa revolta. Não podemos continuar aceitando isso”.

SEXTA NA CPI – Com atraso de uma semana, o presidente Rofoldo Landim e o vice-presidente geral Rodrigo Dunsheee são esperados na próxima sexta (14) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro para serem ouvidos pela Comissão Parlamentar de Inquérito. O deputado Alexandre Knoploch, presidente da CPI, diz que a força policial será usada, caso ele reincidam em não se apresentar para o depoimento.

MEMBROS da Comissão Técnica disseram que “os jogadores sentiram muito o efeito psicológico, antes, durante e até mesmo depois do jogo do último sábado (7) em que o Flamengo venceu (2 x 0) o Madureira, diante das imagens da tragédia”. O Flamengo volta ao Maracanã, quarta (12), pela vaga na final da Taça Guanabara. Como foi segundo do Grupo A, o Flamengo precisa ganhar porque o Fluminense, primeiro do Grupo B, joga pelo empate.

SUPERCOPA DO BRASIL – O Fla-Flu foi antecipado para quarta (12) porque o Flamengo vai decidir a Supercopa do Brasil com o Athletico Paranaense, domingo (16), no estádio Mané Garrincha, em Brasilia. O vencedor receberá R$5 milhões e o perdedor, R$2 milhões. Diferente do que acontece no Brasileirão, o jogo terá uma novidade: toda a equipe do VAR estará centralizada em uma sala na sede da CBF e não no estádio. O jogo será às 11 da manhã.