Escolha uma Página

Pela primeira vez, o torneio mais antigo de futebol do mundo foi adiado, em virtude da epidemia do coronavírus. Disputado pela primeira vez como teste, entre 2 e 17 de julho de 1910, na Argentina, para comemorar os 100 anos da Independência do país, o então Campeonato Sul-Americano só teve a participação de quatro seleções: Argentina, Brasil, Chile e Uruguai, primeiro campeão, vencendo a final com a Argentina.

BICAMPEÃO – O torneio só foi reconhecido oficialmente em 1916, no Uruguai, que ganhou de novo da Argentina na final. O primeiro Sul-Americano de seleções no Brasil foi em 1919, na inauguração do estádio do Fluminense, nas  Laranjeiras, então o maior do Rio com 18 mil lugares. No domingo, 1/6/19, o Brasil venceu o Uruguai (1 x 0, gol de Arthur Friedenrich, atacante do Clube Atlético Paulistano, no último lance da prorrogação de 120 minutos). Foi o jogo mais longo da história do torneio.

14 ANOS – A Argentina ganhou o título em 1921, ano da estreia do Paraguai. Até 1930, quando o Uruguai promoveu e ganhou a primeira Copa do Mundo, o Sul-Americano era o maior torneio do mundo. Só em 1975, na trigésima edição, passou a se chamar Copa América. Houve também mudança na forma de disputa, passando de pontos corridos para as fases eliminatórias e formação de grupos.

45 ANOS – Só depois de 45 anos a Copa América passaria a ser disputada de quatro em quatro anos, em 2020, obedecendo o intervalo da Copa do Mundo e da Eurocopa de seleções, por coincidência também adiada ontem (17) para 2021. Bom lembrar: em suas primeiras edições, de 1916 a 1929, a Copa América foi anual, ocorrendo exceções em 1918, pelo surto de gripe no Brasil, e em 1928, pelos Jogos Olímpicos de Amsterdam (Holanda).

A PAUSA – Após a primeira Copa do Mundo, em 1930, houve muitas divergências políticas entre Uruguai e Argentina, interrompendo o Sul-Americano, que recomeçou em 1935, embora só reintegrado ao calendário em 1939. Depois, outra longa pausa até voltar com o nome de Copa América, com outro formato e sem local fixo. De 87 a 2001, a disputa passou a ser a cada dois anos, e de 2007 em diante, de quatro em quatro anos, com rodízio de sedes.

CONVIDADOS – México e Estados Unidos, em 93, foram os primeiros convidados da Copa América, assim como Japão e Austrália serão na edição 47, adiada para 2021 e pela primeira vez em duas sedes, repetindo a primeira Copa do Mundo na Ásia, em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, por sinal a última das cinco que o Brasil ganhou. Em 2021, a Copa América terá o jogo de abertura na Argentina e a decisão na Colômbia.

BEM ABAIXO – O Brasil ficou 40 anos sem ganhar a Copa América. Depois de 1949, quando teve o artilheiro Jair Rosa Pinto, com nove gols, e ficou com o título em São Januário, então o maior estádio do Rio, o Brasil só voltou a ser campeão em 1989. Os dois maiores campeões da Copa América são o Uruguai, com 15 títulos, e a Argentina, com 14. O Brasil só foi nove vezes campeão, com a conquista invicta de 2019 no Maracanã

AS GOLEADAS – Perdura por 78 anos a maior goleada da história da Copa América: Argentina 12 x 0 Equador, em 22/1/42, no estádio Centenário, em Montevidéu, com cinco gols de Masantonio, quatro de Moreno, e Pedernera, Perucca e Garcia. O técnico era Guillermo Stábile, artilheiro da primeira Copa do Mundo em 1930, com oito gols em quatro jogos, por coincidência no mesmo estádio. A segunda maior goleada também foi da Argentina, 11 x 0 na Venezuela, em 1975, e a terceira, a do Brasil, 10 x 1 na Bolívia, em 1949, em São Januário.

PELÉ E MARADONA – O maior jogador do mundo de todos os tempos e um dos candidatos ao prêmio de segundo melhor, Pelé – único tricampeão do mundo – e Maradona – vencedor de uma Copa -, nunca foram campeões da Copa América. As seleções do Equador e da Venezuela, também. Bom lembrar: havia falta de árbitros na primeira Copa América, em 1916. O árbitro da final Uruguai x Argentina foi o técnico da seleção do Chile…