Além da resistência dos jogadores quanto à redução dos salários, devido ao novo coronavírus e até que a situação volte ao normal, os clubes franceses estão sob ameaça de calote da televisão. O Canal Plus antecipou que não vai pagar os 110 milhões de euros, no final de abril, mesmo que o futebol tenha reinício normal. Os dirigentes do canal acrescentaram ser pouco provável que o total de 759 milhões seja cumprido.

548 MILHÕES – De acordo com os dirigentes dos clubes, o compromisso assumido pelo Canal Plus é de 548 milhões de euros com os clubes da Série A e de 100 milhões de euros com os clubes da Série B, mas o diretor da televisão, Maxime Saada, disse que a epidemia do coronavírus criou um problema de difícil solução. Os clubes da terceira divisão, com recursos ainda mais escassos, admitem que o problema poderá até levá-los à insolvência.

O CANAL PLUS realiza transmissões não apenas em sinal aberto, mas também em sinal codificado. Suas operações começaram em 1984 e se estendem a outros países como a Espanha, Polônia, Rússia e a maioria do continente asiático. O jornalismo do Canal Plus informou durante a madrugada deste sábado (28) que a maioria de mortes na França é em casas de repouso de idosos, de acordo com Jérôme Salomon, diretor do serviço de saúde.