Escolha uma Página

COM A VITÓRIA SOBRE A ARGENTINA, que não perdia desde a final da terceira Copa do Mundo, que ganhou em dezembro de 2022 no Catar, o Uruguai manteve a vice-liderança das eliminatórias e passou a ter o ataque mais positivo, com 10 gols, com os 2 x 0 da noite de ontem (16), diante de 55 mil torcedores, lotação completa do mítico estádio da Bombonera. Foi a primeira vitória do Uruguai sobre a Argentina, como visitante, em jogos das eliminatórias.

O LATERAL-DIREITO Ronald Araújo, de 24 anos, 1,88m, no Barcelona desde 2018, comprado do Rentistas por 7 milhões de euros, marcou o gol do 1º tempo, aos 42 minutos, completando cruzamento do lateral-esquerdo Viña. Foi o primeiro gol que a Argentina sofreu nos cinco primeiros jogos das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026. A seleção uruguaia, dirigida pelo técnico argentino Marcelo Bielsa, ex-zagueiro de 68 anos, dominou a maior parte do primeiro tempo.

O PANORAMA DO FAMOSO clássico do Rio da Prata pouco mudou na volta do intervalo. No entanto, o gol que consolidou a vitória, e repetiu o placar de 2 x 0 sobre o Brasil, só foi conseguido aos 41 minutos, em jogada de oportunismo de Darwin Nuñez. O atacante de 24 anos saiu do Peñarol em 2019 por 7 milhões de euros para o espanhol Almeria, que o vendeu em 2022 por 24 milhões para o Benfica, que o repassou em 2022, por 100 milhões de euros, para o Liverpool.

BOM DIZER: foi apenas a terceira derrota da Argentina, depois de mais de 40 anos, em 35 jogos na Bombonera. As duas anteriores haviam sido em amistosos, em 7 de janeiro de 1971, com a França (4 x 3), e em 4 de junho de 1977, com a Alemanha (3 x 1). A última derrota para o Uruguai havia sido em outubro de 2013 por 3 x 2, com gols de Luis Suarez, Cavani e Cristian Rodriguez. Desde então, em oito jogos, os argentinos venceram 5, empataram 2 e perderam ontem (16).

MUITA EMOÇÃO NA DESPEDIDA DO ARTILHEIRO

O ATACANTE MARCELO MORENO, terceiro artilheiro das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026, depois de Messi e Luis Suarez, realizou na noite de ontem (16) o último jogo com a camisa da Bolívia, no Estádio Hernando Siles, em La Paz. Emocionado desde a entrada em campo, ele chorou ao ouvir o Hino Nacional, e ao ser substituído, aos 33 do 2º tempo, ovacionado pelos 45 mil torcedores, que vibraram com a primeira vitória (2 x 0 no Peru), depois de quatro derrotas.

MARCELO MORENO, de 36 anos, natural de Santa Cruz de la Sierra, filho de boliviana e brasileiro, comploetou o 108º jogo pela seleção na próxima 3ª feira (21) com o Uruguai, no Estádio Centenário, em Montevidéu. Ele não escondeu a frustração por não ter feito gol no último jogo pela seleção em estádio boliviano, depois de 31 (20 pelas eliminatórias). Marcelo Moreno foi campeão baiano no Vitória, mineiro e campeão brasileiro no Cruzeiro, e jogou também no Grêmio e Flamengo. O ex-zagueiro Antonio Carlos Zago, ex-Palmeiras e São Paulo, é o novo técnico da seleção da Bolíia.

OS GOLS DA PRIMEIRA VITÓRIA da seleção boliviana foram do meia Henry Vaca, de 25 anos, do Oriente Petrolero, de Santa Cruz de la Sierra, aos 20 do 1º tempo, e do meia Ramiro Vaca, de 24 anos, do Bolívar, da capital La Paz, aos 42 minutos do 2º tempo, de fora da área. Embora com o mesmo sobrenome, Henry e Ramiro não são parentes. Com a primeira vitória, a Bolívia está em penúltimo com 3 pontos, e o Peru, ainda sem vitória, e sem gol, é o último, com 1 ponto e sete gols sofridos.

Fotos: Onefootball, Gazeta Esportiva, Clique Esportivo e UOL