Se a vantagem não chega a ser tão grande, a ameaça ao Flamengo, nas 19 rodadas do returno, também não se apresenta como das maiores. Palmeiras e Santos aparecem como concorrentes imediatos, com pequena diferença de pontos, mas é preciso saber se terão  rendimento igual ao que o Flamengo conseguiu manter na campanha do turno.

INSTÁVEIS – As campanhas do Internacional, quarto com 33 pontos, e do Corinthians e São Paulo, com 32, foram instáveis. Podem até conseguir diminuir a diferença, mas terão muita dificuldade para ficar mais próximos do líder. Flamengo e Palmeiras souberam explorar bem a vantagem do mando de campo, altamente significativa na soma dos pontos.

VANTAGEM – Palmeiras e Santos terão a vantagem do foco único no Brasileirão, enquanto o Flamengo precisará priorizar a Libertadores. As semifinais começam em duas semanas, e o resultado do primeiro jogo, fora de casa, pode ter influência decisiva na classificação para a tão sonhada final do jogo único de 23 de novembro no Chile.

ESTRUTURA – O investimento pesado em contratações de alto nível deu ao Flamengo uma boa estrutura para suportar o peso de campanhas que exigirão muito. É forçoso reconhecer que o jogo com o Santos, mesmo no Maracanã e com o apoio de mais de 60 mil torcedores, não mostrou o time assim tão superior. São evidentes algumas deficiências.

DIFERENÇA – O Flamengo, com a posse da bola, criativo, incisivo, é um; o Flamengo, sem a posse da bola, tendo que defender, principalmente em seu último reduto, é outro, bem diferente. Não à toa, na semana que antecedeu o jogo com o Santos, o técnico aumentou os cuidados com a marcação. O Flamengo que defende, ainda não é tão forte quanto o Flamengo que ataca, e esse equilíbrio precisa ser conseguido.

Foto: O Dia / IG