Escolha uma Página

UM DIA DEPOIS DO PROTESTO do Vasco, que se sentiu prejudicado pela arbitragem no empate com o Bangu, a Federação de Futebol do Rio decidiu hoje (29), que a partir da sexta rodada – Botafogo x Nova Iguaçu, Vasco x Flamengo, Boavista x Fluminense -, todos os jogos dos quatro grandes serão monitorados pelo VAR.

A FEDERAÇÃO ASSUMIU o despreparo para organizar um campeonato que a cada ano vai perdendo a credibilidade, pelo baixo nível técnico, mas que a Confederação Brasileira de Futebol mantém, tão-somente pelo interesse político do voto que elege o presidente. Por que não o VAR desde o início e só após o protesto de um clube?

O ÁRBITRO DE BANGU 2 x 2 VASCO foi punido com afastamento, sem tempo anunciado, para reciclagem, o que não vai além de um paliativo. Estará de volta em breve, passível de novas falhas, posto tratar-se de um ser humano. A meu juízo, ele não errou nas expulsões e na marcação do pênalti.

PENSO QUE O VASCO precisa adotar a mesma postura firme com dois de seus profissionais: o volante Jair, grosseiro e mal-educado, ao chutar (e quebrar) um microfone ao sair de campo, após a expulsão, e com o técnico Ramon Diaz, muito competente para armar a equipe, mas não para julgar atuação de árbitro, até por não ser o que lhe compete. 

  • O VASCO ESTENDEU o contrato de Pablo Vegetti até dezembro de 2025, com o valor do reajuste não anunciado pelas partes. O atacante argentino de 35 anos ficou feliz com a renovação, que pode ser prorrogada até 2026. Ele marcou 10 gols em 21 jogos em 2023, importantes para o Vasco se manter na Série A em 2024.
  • O VASCO FICARÁ sem o meia Paulinho pelo menos por oito meses, devido à ruptura dos ligamentos do joelho direito, após sofrer falta do meia-atacante Sergio Canela no jogo com o Bangu. A cirurgia, sem data marcada, será nos próximos dias. Paulinho, carioca de 26 anos, foi comprado do saudita Al-Shabab em 2023, e antes sofrera contusão no ombro.
  • O VASCO PASSARÁ a ter 80% dos direitos de Lucas Piton, no final de fevereiro, ao pagar R$5.300 mil ao Corinthians, que então só ficará com 20%, conforme combinado quando o lateral-esquerdo completasse 50 jogos, o que aconteceu no 2 x 2 com o Bangu.

Foto: Jorge Rodrigues/AGIF