Escolha uma Página

Utilizado pela primeira vez nas eliminatórias sul-americanas, iniciadas ontem (8), o VAR foi alvo de duras críticas e revolta, a mais contundente do ex-atacante Ivan Zamorano, que protestou com veemência, no estádio Centenário, em Montevidéu, onde o Chile perdeu (2 x 1) para o Uruguai: “Até quando permitirão esses roubos na América do Sul? Quem dirige a arbitragem? Autênticos ladrões! Foi um jogo manipulado para o UruguaiCom 273 gols em 575 jogos, ele foi campeão no Real Madrid, na Inter de Milão, no América do México, e disputou a Copa de 98, em que o Chile perdeu (4 x 1) para o Brasil, e hoje, aos 51 anos, é comentarista de televisão.

URUGUAI 2 x 1 CHILE foi o primeiro jogo da história das eliminatórias sul-americanas com árbitro de video. Também estreante, o árbitro paraguaio Eber Aquino, embora aos 41 anos, só havia atuado em jogos internacionais amistosos e da Libertadores. O gol de Luis Suarez, de pênalti, foi um lance que revoltou os jogadores chilenos porque a bola bateu no braço do zagueiro Sebastián Vegas, de 23 anos, que joga no Monterrey do México. Um lance bem claro de bola no braço.

DEPOIS que o atacante Alexis Sanches, de 31 anos, da Inter Milão e que completou 135 jogos pela seleção, marcou o gol de empate, o Chile continuou pressionando pela virada. Mas, aos 50 minutos do segundo tempo, os chilenos ficaram ainda mais revoltados, quando o atacante Maxi Gomez, de 24 anos, do espanhol Valencia , fez o gol da vitória do Uruguai, minutos após o árbitro ignorar um toque de mão, perto da marca do pênalti, do zagueiro uruguaio Sebastian Coates, de 30 anos, do Sporting de Lisboa. Foi esse lance que mais contribuiu para a revolta e o desabafo do comentarista Ivan Zamorano.

Foto: REUTERS/Raul Martinez