IMAGINAVA-SE, EM AGOSTO DE 2016, quando o VAR foi utilizado pela primeira vez, na Liga dos Estados Unidos, que as discussões estariam com os dias contados. Mas,  seis anos depois, não é o que se vê: os problemas aumentaram e se mostram longe da solução esperada com a introdução da tecnologia no futebol.

DOMINGO (11), POUCO DEPOIS de o VAR não ter considerado a falta do zagueiro Leo Pereira, do Flamengo, no goleiro Tadeu, do Goiás, e validado o gol do 1 x 1, após o árbitro Marcelo de Lima Henrique ter anulado, em Turim, o árbitro Matteo Marcenaro, chamado pelo VAR, anulou o gol da vitória da Juventus, que perdia por 2 x 0, e fez a virada na Salernitana.

NÃO SÓ OS JORNAIS ESPORTIVOS da Itália, mas de toda a Europa, dão destaque ao assunto na edição desta 2ª feira (12). O zagueiro baiano Bremmer, convocado dois antes pela primeira vez pelo técnico Tite, havia feito de cabeça o 1º gol da Juventus, e o de empate foi do outro zagueiro, o capitão Leonardo Bonucci. 

O GOL DA VIRADA DA JUVENTUS foi do atacante polonês Milik, emprestado pelo Olympique de Marselha, anulado por impedimento de Bonucci, que não participou do lance. Só que o meia Candreva dava condições a Bonucci, mas a imagem não era do VAR da Federação Italiana, mas de um VAR paralelo, que seria da Juventus.

COM MUITA CONFUSÃO e expulsão do lateral colombiano Cuadrado e do técnico Massimiliano Allegri, da Juventus, o empate foi mantido e a Juventus está ameaçada de outras punições. Em resumo: já criaram até o VAR paralelo do VAR. A tendência é que os problemas aumentem ainda mais.

BRASILEIRO NA VITÓRIA DA ROMA

O ZAGUEIRO IBAÑEZ, convocado pela primeira vez por Tite, teve mais uma boa atuação, e sofreu pênalti, que Pellegrini mandou no travessão, na vitória da Roma sobre o Empoli por 2 x 1, na noite desta 2ª feira (12), no estádio Carlo Castellani, em Empoli, província de Florença, na região da Toscana, a 370 km da capital Roma.

O MEIA ARGENTINO Paulo Dybala, de 28 anos, ex-Juventus, foi o destaque da Roma, marcando o 1º gol de fora da área e dando assistência para o inglês Tammy Abraham fazer o da vitória, depois que o meia Filippo Bandinelli empatou. Dybala tem três gols, metade do artilheiro Marko Arnautovic, austríaco do Bologna.

A ROMA, DO TÉCNICO MOURINHO, subiu ao 5º lugar, com 13 pontos, só menos 1 ponto que Napoli (1º), Atalanta (2º) e Milan (3º), com 14. O Napoli lidera pelo saldo de 9 gols, contra 7 da Atalanta e 6 do Milan, que domingo (18) fará o jogo mais importante da 7ª rodada com o Napoli, no estádio de San Siro. 

O BRASILEIRO THIAGO MOTTA, ex-meia de 40 anos, paulista de São Bernardo do Campo, é o novo técnico do Bologna, 12º do atual campeonato, após a demissão do sérvio Sinisa Mihajlovic, de 53 anos. Thiago Motta está no futebol europeu desde 1999, é naturalizado italiano e foi campeão na Inter de Milão, Barcelona e PSG.

Fotos: Reprodução / ESPN