ALÉM DE SUBIR DUAS POSIÇÕES E TERMINAR A RODADA EM SEXTO, o Vasco deixou o Botafogo na cara da liderança, ao vencer o Coritiba por 2 x 1, na tarde de ontem (16), em São Januário. O Botafogo será o novo líder, se vencer o Brusque na próxima quarta (20), no estádio Nilton Santos, ultrapassando o Coritiba em pontos (55 a 54), em vitórias (16 a 15) e no saldo de gols (15 a 12). O Botafogo tem o ataque mais positivo com 42 gols, média de 1.4 por jogo.

CHANCE PERDIDA – No jogo que concluiu a trigésima rodada, na noite de ontem (16), no estádio Batistão, em Aracaju, o Avaí perdeu a chance de ser o novo vice-líder com 53 pontos, ultrapassando Goiás, terceiro com 51, e Botafogo, vice-líder com 52, ao ser derrotado por 3 x 1 pelo Confiança, penúltimo colocado com 28 pontos, que conseguiu apenas a sétima vitória em 30 jogos. A derrota do Avaí também foi boa para o Vasco, que ficou só a 4 pontos do quarto colocado.

EM SUA MELHOR EXIBIÇÃO nos sete jogos com o técnico Fernando Diniz, o Vasco venceu com todos os méritos o líder Coritiba por 2 x 1, em mais uma bela tarde de esplendor e festa em São Januário, com a torcida, como sempre, lado a lado com o time, que merecia placar mais expressivo. O Vasco subiu duas posições e terminou a trigésima rodada em sexto lugar, com 46 pontos, 13 vitórias, nona como mandante, terceira por 2 x 1 e saldo de 3 gols (34 a 31).

FARO DE CANO – O Vasco abriu o placar aos 19 minutos, em lance que revelou todo o faro de gol do artilheiro argentino  Cano, sempre atento e olhando em todas as direções. Bem posicionado e com muita rapidez, ele aproveitou o rebote do goleiro Wilson, após o chute de Gabriel Pec, e dedicou o gol ao compatriota Martin Sarrafiore, meia de 24 anos, operado do joelho na última quinta (14), e cujo empréstimo será prorrogação pelo Internacional até dezembro de 2022. 

SEM ABALAR – O Vasco sofreu o empate no primeiro minuto do segundo tempo, com o gol do gaúcho Leo Gamalho, vice-artilheiro do campeonato, com 13, aproveitando a falha de Ricardo, após cruzamento rasteiro de Rafinha. A reação imediata de apoio dos companheiros fez com que o zagueiro não se abalasse, e jogasse , sem nenhum outro erro, até o final. Uma demonstração bem clara de união dos jogadores, ainda mais fortalecidos pelo incentivo da torcida.

GOL E ORAÇÃO – O gol da vitória, que o meia Nenê, de 40 anos, marcou aos 8 minutos, foi resultado de mais uma das boas jogadas do lateral Riquelme, 21 anos mais novo, revelado no excelente trabalho de base que o Vasco realiza. O cruzamento passou pela frente do gol e o canhoto Nenê finalizou, caído, de pé direito (o do acelerador e do freio). A posição era legal, mas o gol só foi confirmado após revisão de seis minutos do VAR. Nenê revelou: “Enquanto esperava, fiz uma oração. O Vasco é um clube do bem, de Deus”. Foi o terceiro gol de Nenê em sete jogos na volta ao Vasco.

QUARTA VITÓRIA – Desde que Fernando Diniz assumiu, em 16 de setembro, foi a quarta vitória em sete jogos, segunda em casa, terceira por 2 x 1, do mineiro de 47 anos, ex-meia, técnico e psicólogo. Ele voltou a elogiar a aplicação do time e a reconhecer o apoio da torcida: “Voltamos a jogar bem, mas temos que aumentar ainda mais o ritmo”. Com Diniz, o Vasco só não fez gol na única derrota (0-1 para o Sampaio Corrêa) e só não sofreu gol na vitória sobre o Goiás (2 x 0).

A SURPRESA  – Formado na base do Vasco desde 2003, quando chegou de Barra Mansa, o goleiro Lucão foi a  surpresa na escalação do técnico Fernando Diniz, que deixou na reserva o experiente Vanderlei, de 37 anos. Profissional há oito meses, Lucas Alexandre Galdino de Azevedo, o Lucão, de 20 anos, 1,91m, é neto e filho de goleiros, posição que assumiu ao sentir que não dava para ser atacante. Medalha de ouro nos Jogos de Tóquio 2020, foi suplente de Santos, do Athletico Paranaense, na seleção do técnico André Jardine.

LUCÃO, Zeca (Leo Matos), Leandro Castan, Ricardo e Riquelme (Walber); Bruno Gomes, Gabriel Pec (Rômulo), Marquinhos Gabriel e Nenê (Leo Jabá); Morato (MT) e Cano – o Vasco que subiu do oitavo para o sexto lugar com 46 pontos, 13 vitórias, 7 empates, 10 derrotas, saldo de 4 gols (36 a 32). O próximo jogo será domingo (24), no estádio dos Aflitos, no Recife, com o Náutico, que ganhou de virada (3 x 2) da Ponte Preta, em Campinas, e subiu para o nono lugar com 44 pontos e 12 vitórias.

OS OITO ÚLTIMOS – Depois do jogo com o Náutico, o Vasco terá mais três jogos como visitante em novembro, nos dias 4, em Campinas, com o Guarani; 13, em Goiânia, com o Vila Nova, e 27, na última rodada, em Londrina, no estádio do Café, com o Londrina. O último jogo de outubro do Vasco, em São Januário, será dia 29 com o CSA, e em novembro, com o Botafogo, dia 7; com o Vitória, dia 9, e com o Remo, dia 20, na penúltima rodada.

Foto: Lance!