O VASCO TEVE ESTREIA ANIMADORA EM 2022, não só pela vitória por 4 x 2 sobre o Volta Redonda, mas pela boa atuação na noite desta 4ª feira (26), no estádio Raulino de Oliveira, apesar do pouco tempo de pré-temporada e de não ter podido contar com todos os contratados. O gol de Gabriel Pec, aos 10 minutos, fez o time melhorar e sair bem da pressão inicial do adversário, depois envolvido e sem ter como evitar os gols do estreante Raniel e do capitão Nenê.

O VASCO SOFREU O 1º GOL NOS ACRÉSCIMOS, mas voltou do intervalo ampliando a vantagem para 4 x 1, e por certa desatenção, sofreu o 2º gol aos 18 minutos, mas até o final mostrou segurança para garantir a vitória em boa estreia. O Vasco teve menos finalizações que o Volta Redonda (11 a 14), mas foi mais preciso nos chutes na direção do gol: em seis acertou quatro. O jogo teve 50 faltas (26 do Vasco) e 7 cartões amarelos (4 do Volta Redonda). R$84.700,00. 2.528 pagantes.

GABRIEL PEC, um dos três remanescentes de 2021, fez 1 x 0 aos 10 minutos, de primeira e de canhota, com assistência do estreante Weverton, ala e volante paulista de 21 anos. O atacante Raniel, de 25 anos, emprestado pelo Santos, fez 2 x 0 aos 32, antecipando-se à zaga e completando de cabeça o cruzamento de Bruno Nazario, paranaense de 26 anos, que estava no América Mineiro, emprestado pelo Hoffenheim, atual 7º do Campeonato Alemão.

O VASCO AMPLIOU A VANTAGEM, aos 32, com o gol do capitão Nenê, aproveitando de primeira o cruzamento sob medida de Gabriel Pec. Nos acréscimos, o goleiro estreante Tiago Rodrigues, paulistano de 33 anos, 1,91m, do CSA em 2020-21, derrubou na área o atacante MV, e o goiano Pedrinho, de 25 anos, que já foi artilheiro do América na Série B do Rio, converteu o pênalti no 1º gol do Volta Redonda.

O VASCO VOLTOU DO INTERVALO com a disposição de liquidar o jogo e conseguiu logo aos dois minutos. Depois de boa tabela com Nenê, o meia Juninho comemorou o 4º gol, três dias após completar 23 anos: “Estou feliz e quero fazer de 2022 o meu melhor ano no Vasco”. O Volta Redonda diminuiu com o gol do zagueiro Dilsinho, de cabeça, aos 18 minutos, sem assustar, e muito menos tirar o brilho da vitória na estreia animadora do Vasco por 4 x 2.

THIAGO RODRIGUES, Weverton, Ulisses, Anderson e Edimar; Yuri Lara (Riquelme), Juninho, Gabriel Pec (Laranjeira) e Nenê (c); Bruno Nazario (Figueiredo) e Raniel (Isaque) – o Vasco do técnico carioca José Ricardo Mannarino, de 50 anos,que voltou ao comando do time, quase cinco anos depois, com a 23ª vitória em 51 jogos: “Tanto quanto vencer, foi importante sentir que a equipe pode evoluir muito. Ganhamos de um adversário que venho treinando há três meses”.

SETE AMARELOS – O árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus, de 32 anos, com boas atuações desde 2016, marcou 50 faltas e aplicou sete cartões amarelos. Os do Volta Redonda nos zagueiros Daivison e Dilsinho; no meia Tinga e no atacante Pedrinho. O primeiro cartão, logo aos 5 minutos, foi de Bruno Nazario, por falta dura em Natan, e os outros do Vasco, no goleiro Tiago Rodrigues pelo pênalti, e no meia Juninho.

LUGAR DE VASCAÍNO – O Vasco fará o primeiro jogo do ano em São Januário, sábado (29), às 21 horas, com o Boavista, estreou empatando (1 x 1) com o Botafogo. Com certeza, a boa estreia animará os torcedores, e renovo o que durante muitos e muitos anos, antes dos jogos na Colina histórica, dizia no rádio: sábado, lugar de vascaíno é em São Januário.

Foto: NetVasco