Nesta sexta, 21 de agosto, em que o Vasco festeja 122 anos de sua fundação em 1898, o dia não poderia ser mais feliz para sua imensa torcida, depois dos 3 x 0 sobre o Ceará, na noite de ontem (20), na Arena Castelão, em Fortaleza, levando o time à liderança, invicto e único com 100% de aproveitamento, com três vitórias, consecutivas e expressivas no Campeonato Brasileiro. O time do ataque mais positivo, da defesa menos vazada e o único do futebol carioca com dois artilheiros.

GRANDE ATUAÇÃO – O Vasco teve mais uma grande atuação nos 3 x 0 da noite de ontem (20), marcando com firmeza e ocupando bem os espaços, quando o Ceará, com mais posse de bola, em boa parte do primeiro tempo, chegou a ameaçar. Mas, na volta do intervalo, o Vasco liquidou o jogo em dez minutos. Cano fez 1 x 0 aos 23, após Benitez pressionar a saída de bola, que passou a Andrey, e aos 33, com outro belo gol de Felipe Bastos, terceiro dele no ano, com chute forte, bem colocado e indefensável. 

ESTRUTURADO – As três vitórias consecutivas deixaram claro que o Vasco é um time bem estruturado, e não à toa, o técnico Ramon Menezes, aplicando o que aprendeu em campo, como um dos meias notáveis, e com os bons técnicos que teve, faz o time que comanda conseguir resultados expressivos. Foi seu quinto jogo, com cinco vitórias, baseadas em firmeza na marcação, criatividade no meio-campo e objetividade nas finalizações. Os contra-ataques do Vasco têm sido mortais.

PRIMEIRA FORA –Os que só viam o time mostrar condições de ganhar em casa, como nos 2 x 0 no Sport e 2 x 1 no São Paulo, não perderam por esperar. Logo em seu primeiro jogo como visitante, o Vasco conseguiu o placar mais expressivo de sua campanha e chegou à terceira vitória consecutiva, com a soma de sete gols e apenas um gol sofrido, provando não ser apenas uma equipe doméstica. E é bom que se ressalte: a vitória de 3 x 0 foi sobre o campeão da Copa do Nordeste, o bom time do Ceará.

OUTRA VIRTUDE – O condicionamento fisico tem sido outra virtude no desempenho do Vasco, do início ao fim, no mesmo ritmo, como se viu na arrancada do meia Carlinhos e do atacante Ribamar, com ótima finalização, já nos acréscimos, aos 49, para fechar o placar. Uma vitória de líder, invicto e único com 100% de aproveitamento, para motivar ainda mais a equipe para o jogo do próximo domingo (23), em São Januário, com o Grêmio.

VASCO – Fernando Miguel, Claudio Winck, Ricardo Graça, Leandro Castan e Henrique; Felipe Bastos (Miranda), Andrey (Guilherme Parede) e Martin Benitez (Carlinhos); Neto Borges (Bruno Gomes), German Cano e Talles Magno (Ribamar). Depois do jogo com o Grêmio, o Vasco volta à Copa do Brasil e vai enfrentar o Goiás, na próxima quarta (26), no estádio da Serrinha, em jogo que será apitado pelo mineiro Ricardo Marques Ribeiro, ex-FIFA, agora só no quadro nacional da CBF.

CEARÁ – Fernando Prass, Samuel Xavier, Tiago, Luis Otávio e Bruno Pacheco; Charles (Fabinho), Ricardinho (Vinícius), Mateus Gonçalves (Leandro Carvalho) e Fernando Sobral (Rafael Sóbis); Lima (Victor) e Cleber. Técnico – Guto Ferreira. Sem vitória em quatro jogos, o Ceará sofreu a primeira derrota em casa, onde empatou (1 x 1) com o Grêmio. Como visitante, perdeu (3 x 2) para o Sport e empatou (1 x 1) com o Atlético Goianiense.

Domingo (26) volta a jogar em casa com o São Paulo.SEIS CARTÕES – Atuação correta de Tiago Peixoto, árbitro da Federação Paulista, que aplicou seis cartões amarelos: Ricardo Graça, Andrey e Henrique, e os do Ceará em Samuel Xavier, Leandro Carvalho e Lima. Com apenas 1  ponto em quatro jogos e saldo negativo de seis gols (3 x 9), o Ceará é penúltimo colocado.

 LANTERNA TAMBÉM DEMITE TÉCNICO

Depois de perder os dois jogos das finais do Campeonato Paranaense para o Athletico, tricampeão, o Coritiba demitiu ontem (20) o técnico Eduardo Barroca, de 38 anos, o mais novo do Brasileiro 2020, após quatro derrotas consecutivas: em casa, 1 x 0 para o Internacional e o Flamengo, e como visitante, 1 x 0 para o Bahia e 3 x 1 para o Corinthians, no único jogo em que fez gol. Com o técnico, saíram seu assistente Felipe Lucena, o preparador físico Anderson Gomes e o diretor Rodrigo Pastana.

INTERINO – Sem pontuar e com um gol em quatro jogos, a preocupação dos dirigentes do Coritiba é um novo rebaixamento em 2021. O time será dirigido domingo (23), no jogo com o Bragantino, pelo assistente fixo da comissão técnica, Mozart Batistade 40 anos, ex-volante, que fez na carreira de 303 jogos e 18 gols, entre 1997 e 2012. Ele foi do Paraná Clube, Flamengo, Palmeiras, e na Europa jogou pelo francês Bordeaux e o russo Spartak Moscou.

BOM DIZER – Depois de dirigir o sub-17 do Corinthians e o sub-20 do Botafogo, o carioca Eduardo Barroca só dirigiu dois times principais, ambos em 2019: o do Botafogo, em 27 jogos, em abril, quando substituiu Zé Ricardo, e o do Atlético Goianiense, em 9 jogos, em outubro, na saída do técnico Jorginho, agora um dos nomes lembrados pela diretoria do Coritiba. Há tempos, o Campeonato Brasileiro não registrava a demissão de dois técnicos no mesmo dia.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco