O Vasco perdeu a chance de encostar no vice-líder Internacional e de ficar só a três pontos do líder Atlético Mineiro, ao empatar (1 x 1) com o Bragantino, neste último domingo (27) de setembro, com sol forte e calor intenso em São Januário, e pode perder a vaga no G4, se o Santos vencer o Fortaleza, no último jogo da noite de hoje, na Vila Belmiro. O Vasco só se livrou da derrota porque ainda no primeiro tempo, que terminou sem gol, Fernando Miguel defendeu pênalti, aos 35, cobrado por Alerrandro.

JOGO FRACO – O calor pode ter servido como atenuante, mas não chegou a justificar que Vasco e Bragantino tenham feito jogo tão fraco, nada criativo e com maus finalizadores. Uma das piores apresentações do Vasco mandante, e outra vez não se pode deixar de atribuir parte à ausência do meia argentino Martin Benitez, que sempre falta falta. Além disso, todas as substituições feitas pelo Vasco em nada acrescentaram ao rendimento da equipe, apática e sem iniciativa para vencer.

EM 2 MINUTOS – Sem se adiantar à cobrança, como na derrota para o Coritiba, o goleiro Fernando Miguel foi preciso na defesa do pênalti, que o volante Bruno Gomes cometeu com o braço, e Alerrandro, artilheiro do Bragantino, cobrou. Os times deram a impressão de que o segundo tempo seria melhor, mas só jogaram seis minutos. Vinícius fez o gol do Vasco aos 5, após cruzamento rasteiro de Juninho, e Lucas Evangelista empatou aos 6, em jogada de Alerrandro, que a seguir perdeu a chance clara do desempate.

QUARTO LUGAR – O terceiro empate em onze jogos deixou o Vasco em quarto com 18 pontos – 5 vitórias, 3 derrotas, saldo de 5 gols (16 a 11) -, mas podendo sair do G4, se o Santos, com 16 pontos, vencer o Fortaleza, no último jogo deste domingo (27), às 18h30m, na Vila Belmiro. O Palmeiras é quinto com 18 e o Flamengo, sexto com 17, ambos com 10 pontos, mas não pontuarão porque o cancelamento do jogo foi confirmado pela justiça.

11 ANOS DEPOIS – Vasco e Bragantino voltaram a jogar pela Série A depois de 11 anos. Entre 2009 e 2016 os confrontos que tiveram foram pela Série B, que o Bragantino disputou durante 16 anos. Foi o nono empate em 16 jogos, com 6 vitórias do Vasco e só uma vitória do Bragantino. Com 11 pontos em 12 jogos, o time de Bragança Paulista, cidade a 88 km da capital, vai terminar a rodada na zona de rebaixamento, podendo cair uma posição e ser o décimo oitavo, se o Botafogo vencer.

VASCO – Fernando Miguel, Pikachu (Caio Tenório), Miranda, Castan e Henrique; Bruno Gomes, Marcos Junior (Ribamar) e Juninho (Carlinhos); Vinícius (Catatau), Cano e Talles (Parede). O Vasco será visitante nos dois próximos jogos, domingo (4), com o líder Atlético, no Mineirão, e quarta (7), com o Bahia, em Pituaçu. No segundo sábado (10) de outubro, o clássico Vasco x Flamengo, no Maracanã. Bom lembrar: a última vitória do Vasco foi na décima rodada, 3 x 2 sobre o Botafogo, dia 13 de setembro.

BRAGANTINO – Julio Cesar, Raul, Leo Ortiz, Ligger e Edimar (Weverson); Uilian Correia, Lucas Evangelista e Claudinho (Luis Felipe); Artur (Morato), Alerrandro (Hurtado) e Bruno (Barreto). O Bragantino será mandante nos dois próximos jogos, sábado (3), com o Corinthians, e quinta (8) com o Internacional.

TRÊS CARTÕES – Vasco 1 x 1 Bragantino apresentou bom nível disciplinar, o que contribuiu para a atuação tranquila do árbitro Rodolpho Toski Marques, de 33 anos, da Federação Paranaense e da FIFA. O único jogador do Bragantino advertido com cartão amarelo foi o atacante Bruno, e os dois punidos do Vasco, o volante Bruno Gomes, pelo pênalti cometido com o braço, e o atacante Parede, emprestado pelo argentino Talleres de Córdoba.

PROTESTO – Colocada atrás do gol à esquerda da tribuna social do estádio, uma faixa da torcida organizada Guerreiros do Almirante não deixou de chamar a atenção dos observadores, principalmente por ter sido escrita com a sigla em inglês FCK. A faixa era contra clubes-empresas, caso do Bragantino, comprado pela multinacional austríaca RB (abreviatura de Red Bull) de energéticos, dona também do RB Salzburg, da Áustria, e RB Leipzig, da Alemanha. FCK é sigla de um palavrão com diversas interpretações no idioma inglês.

Foto: Lance