Escolha uma Página

O VASCO terá que melhorar muito para não sofrer derrota ainda mais contundente no clássico de domingo (4) com o Flamengo, na reabertura do Maracanã, depois de perder a invencibilidade, ao ser derrotado pelo Nova Iguaçu por 2 x 0, na noite desta 4ª feira (31), no Parque do Sabiá, em Uberlândia, de onde saiu vaiado.

O VASCO voltou a jogar mal, tal como no 2 x 2 com o Bangu, e a atuação diante do Nova Iguaçu chegou a beirar o ridículo. Está claro que o time precisa de reforços pontuais para o Campeonato Brasileiro, sob pena de repetir a agonia que viveu em 2023, quando só se livrou do rebaixamento na última rodada.

O VASCO tentou se recompor na volta do intervalo, quando já perdia por 1 x 0, mas só Payet, no lugar de Maicon, que falhou no gol, melhorou um pouco o rendimento. Erick Marcus entrou aos 20, e Vegetti aos 22, pouco produziram. Vegetti completou seis jogos sem gol, quarto em 2024, primeiro depois da renovação do contrato.

O ÚLTIMO GOL de Vegetti foi na derrota para o Corinthians (4 x 2), em 28/11/2023, em São Januário, pelo Brasileiro. Em 2024 ele não marcou nos jogos da pré-temporada com San Lorenzo e Maldonado, e no Carioca, com Bangu e Nova Iguaçu. Em 2023, fez 10 gols em 21 jogos, o que lhe valeu bom reajuste no novo contrato.

BEM ARMADO pelo técnico Carlos Vitor, de 52 anos, ex-jogador do clube, o Nova Iguaçu explorou os contra-ataques para vencer. Carlinhos, paulista de 26 anos, formado na base do Corinthians e um dos artilheiros do Carioca, marcou o 1º gol aos 34, após cruzamento de Yago, que aproveitou a falha do zagueiro Maicon.

A JOGADA DO 2º GOL, aos 44 do 2º tempo, foi bem trabalhada em seis toques, a partir do próprio campo, e concluída pelo atacante Lucas Campos, de 26 anos, nascido em Nova Iguaçu. Ele concluiu de primeira, de canhota, o cruzamento de Carlinhos. O Vasco também não soube aproveitar os 10 minutos de acréscimos.

COM A DERROTA, o Vasco perdeu o 3º lugar para o Nova Iguaçu, com 10 pontos, e caiu para o 6º lugar, com 8. O Vasco foi igualado em pontos ( 8 ) pelo Flamengo, que venceu o Sampaio Corrêa (2 a 0), e o ultrapassou no saldo de gols. O Vasco pode terminar a 5ª rodada em 7º lugar, se o Madureira, com 6, vencer nesta 5ª (1) o Boavista.

O TIME QUE PERDEU A INVENCIBILIDADE: Leo Jardim, Paulo Henrique, Maicon (João Victor), Leo (cap) e Julião (Piton); Zé Gabriel, Praxedes e Serginho (Erick Marcus); Rossi (Vegetti), Rayan e David (Payet). O assistente Emiliano Diaz, filho do técnico Ramon Diaz, pediu desculpa: “O torcedor do Vasco não merece atuação tão ruim”.

O TIME QUE TIROU A INVENCIBILIDADE DO VASCO: Fabricio, Cayo Tenório (Yan), Gabriel Pinheiro, Rafael e Maicon; Fernandinho (Ronald), Igor (Lucas Campos), Xandinho (Albert) e Bill; Yago (Sidney) e Carlinhos. O Nova Iguaçu subiu ao 3º lugar com 10 pontos, 3 vitórias, 1 empate, 1 derrota, saldo de 1 gol (8 a 7).

“POR FALHAS DISCIPLINARES GRITANTES”, foi assim que a Federação de Futebol do Rio anunciou, logo após o jogo, o afastamento do árbitro João Marcos Gonçalves Fernandes, de 30 anos, por tempo indeterminado. A meu juízo, o único erro grave que cometeu foi o de não expulsar Cayo Tenório, que atingiu Rossi com a sola da chuteira, que poderia ter quebrado a perna direita do jogador do Vasco.

NOVA IGUAÇU 2 x 0 VASCO, na noite desta 4ª feira (31), no Parque do Sabiá, em Uberlândia, registrou R$1.009.512,00. 9.160 pagantes. Bom lembrar: o recorde de público, em jogo entre equipes, foi o do amistoso Uberlândia 0 x 0 Vasco, domingo, 8 de abril de 1984, com 54.630 pagantes. Dois anos antes, o amistoso Brasil 7 x 0 Irlanda, teve o recorde dos recordes, com 75.314 pagantes, em 27 de maio de 1982.

EM 13 JOGOS, todos pelo Carioca, com 8 vitórias do Vasco, a mais ampla (5 x 1) em 15 de março de 2015, e dois empates, foi apenas a terceira vitória do Nova Iguaçu, por coincidência, 2 x 0, tal como a última, em 20 de março de 2013.

Fotos: IGO ESTRELA/METRÓPOLES @igoestrela