Escolha uma Página

Sem criatividade e sem poder de finalização, o Vasco ficou no 0 x 0 com o Fortaleza, na noite de hoje (19), em São Januário, e perdeu a chance de subir três posições. O time apenas deixou o rebaixamento, mas igual em pontos (23) ao Bragantino, primeiro dos quatro últimos, quando poderia ter ultrapassado Atlético Goianiense, Ceará e Corinthians e terminado em décimo terceiro, três posições acima do décimo sexto lugar em que se encontra.

NÚMEROS RUINS – Um gol por jogo. Isso basta para dizer que os números do Vasco são ruins, depois de só fazer 22 gols em 20 jogos, e de conseguir vencer apenas a metade dos jogos em São Januário, onde perdeu mais do que ganhou. Das seis vitórias, só três em casa: 2 x 0 no Sport, 2 x 1 no São Paulo e 1 x 0 no Athletico Paranaense. Quatro derrotas em casa, três por 2 x 1: Atlético Goianiense e Flamengo, de virada, e Corinthians, e 0 x 1 Palmeiras. 0 x 0 com Grêmio e Fortaleza, 1 x 1 com Bragantino. 

FALSA IMPRESSÃO – Depois de nove jogos sem vencer, o Vasco deu a falsa impressão de que melhoraria após 2 x 0 no Sport, no Recife, mas no jogo desta noite com o Fortaleza, que também completou o quinto jogo sem vencer, veio a recaída. Até se pode levar em conta que o time perdeu muito da criatividade e parte do poderio ofensivo, sem Benitez e Tiago Reis, bem superior a Talles Magno, outra vez figura apagada. A Covid-19 tirou de campo oito do Vasco e três do Fortaleza.

CHANCES RARAS – O empate sem gol se ajustou bem ao rendimento fraco do Vasco e do Fortaleza, que criaram chances raras de gol e pararam em boas defesas dos goleiros. Felipe Alves, do Fortaleza, defendeu bem a cabeçada de Cano, aos 16 do primeiro tempo, e 10 minutos depois, Fernando Miguel fez boa defesa na cabeçada do zagueiro Bruno Melo, após escanteio. O que mais tem faltado ao Vasco é consistência no rendimento. O time não é capaz de engrenar dois jogos consecutivos com boas atuações.

SEM MAIS DOIS – Não se sabe quantos dos que estão fora poderão voltar no jogo muito complicado de domingo (22) com o São Paulo, mas o Vasco irá ao Morumbi sem mais dois que tiveram bom desempenho na noite de hoje (19): o lateral Leo Matos e o zagueiro Marcelo Alves, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, os únicos aplicados pelo gaúcho Jean Pierre Lima, com atuação correta. Marcelo Alves, aos 32, por falta em Wellington Paulista, e Leo Matos, aos 39, por falta em Romarinho.

HOMENAGEM – O Vasco usou na camisa do 0 x 0 com o Fortaleza o escudo com os dizeres Respeito e Igualdade, em homenagem ao Dia da Consciência Negra, que amanhã (20) completará 13 anos de criação. Antes do jogo, por orientação do clube, os jogadores se ajoelharam e ergueram o braço, com punho cerrado, repetindo o gesto do jogador do futebol americano, Collin Kaepernick, um dos líderes dos protestos mais veementes contra o racismo nos Estados Unidos.

NA HISTÓRIA – O Vasco foi o primeiro time campeão a ter negros no time, dois deles extraordinários: Moacir Barbosa, primeiro goleiro campeão carioca no Maracanã e titular da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1950, dois anos após ter sido campeão dos campeões sul-americanos em 1948, no Chile, eDomingos da Guia, o maior zagueiro da história do futebol mundial, campeão carioca de 1934, após ter sido campeão uruguaio de 1933 no Nacional de Montevidéu, e em 1935 campeão argentino no Boca Juniors.

PRESIDENTE NEGRO – O Vasco registra também com muito orgulho que Cândido José de Araújo foi o primeiro presidente negro de sua história, eleito em 7 de agosto de 1904, quando o futebol ainda não fazia parte do clube. Isso aconteceu 16 anos após a princesa Isabel ter assinado a Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, um dispositivo legal de apenas dois parágrafos, acabando com a escravidão no Brasil. Cândido era funcionário da Central do Brasil e se aposentou como escrevente.

MARIO BALOTELLI – Na Itália, o agente Carmine “Mino” Raiola, de 53 anos, que cuida dos contratos de jogadores do nível de Ibrahimovic, Donnarumma, Marco Verrati e Paul Pogba, anuncia estar acertando a ida do atacante Mario Balotelli, de 30 anos, para o Vasco. Segundo ele, a negociação está sendo conduzida com a participação de Fabio Cordella, outro agente italiano de prestígio com jogadores e amigo de Balotelli desde quando o atacante iniciou a carreira no Brescia. 
Bom dizer: Balotelli tem passagens marcantes pelo Manchester City, Milan e Liverpool, além de ter sido tricampeão 2006-07, 08, 09 na Inter de Milão e campeão da Liga dos Campeões em 2009-10, dirigido por José Mourinho, um dos muitos técnicos que o admiram.

VASCO – Fernando Miguel, Leo Matos (Caio Tenório), Marcelo Alves, Werley, Ricardo e Neto Borges; Leo Gil (Marcos Jr), Pikachu (Vinícius) e Andrey; Talles Magno (Gustavo Torres) e Cano. Técnico – Ricardo Sá Pinto. Décimo sexto com 23 pontos em 20 jogos  6 vitórias, 5 empates, 9 derrotas, saldo negativo de 4 gols (22 a 26)  o Vasco jogará domingo (22), no Morumbi, com o São Paulo.

FORTALEZA – Felipe Alves, Tinga, Jackson, Bruno Melo e Carlinhos; Juninho, Ronald (Derley) e Marlon (Igor Torres); David (Wanderson), Romarinho (Mariano Vazquez) e Wellington Paulista (Bergson). Técnico – Marcelo Chamusca. Décimo segundo com 25 pontos em 21 jogos – 6 vitórias, 7 empates, 8 derrotas, saldo de 1 gol (20 a 19) , o Fortaleza permanece no Rio para o jogo de domingo (22) com o Botafogo, no estádio Nilton Santos. Bom lembrar: o Fortaleza nunca venceu o Vasco, em seis jogos, em São Januário: quatro derrotas e dois empates.

Em 11 jogos como visitante, o Fortaleza só ganhou do Goiás (1 x 0); empatou 5 – 1 x 1 com Corinthians, Grêmio e Santos, e 0 x 0 com Coritiba e Vasco, e sofreu 5 derrotas – 0 x 1 São Paulo e Ceará, e 1 x 2 Flamengo, Bahia e Athletico Paranaense. Antes do 0 x 0 com o Vasco, quatro derrotas consecutivas. A última vitória, 2 x 0 no Palmeiras, dia 18 de outubro, na rodada 17, em Fortaleza.

Foto: Fanpage