O vice-presidente José Luis Moreira disse não ter fundamento a notícia de que o Vasco propôs a redução de salário e o pagamento de cinco mil reais por mês aos jogadores, enquanto o futebol não recomeçar, em virtude da pandemia do novo coronavírus: “Não houve esse comentário por ninguém capaz de falar em nome do clube”.

DESDE QUE VOLTOU ao comando do futebol do clube, em 16 de março, José Luis Moreiratrabalha com o objetivo de regularizar a situação, sempre franco no contato com os jogadores: “Essa é a nossa postura, buscando o melhor para o clube e seus profissionais. O Vasco tem um compromisso com sua torcida, que o tornou um Gigante”.

REFORÇOS – Desde que acertou a efetivação do ex-meia Ramon Menezes como técnico, por sugestão do coordenador Antonio Lopes, que também voltou ao clube por seu intermédio, José Luis Moreira está atento ao mercado, com o objetivo de conseguir os reforços de que o treinador necessita para fortalecer a equipe na sequência da temporada.

PRIORIDADE – José Luis Moreira reafirma que a prioridade é o acerto dos atrasados com os jogadores, lembrando que há diferença: alguns estão com mais tempo de atraso do que outros, mas o certo é que todos serão regularizados. O vice-presidente, em tom de muito otimismo, ressaltou que “uma boa surpresa está sendo preparada pelo Vasco”.

NOVA AÇÃO – O meia Nenê, que fez 132 jogos pelo Vasco, de 2015 a 2018, saindo em 2019 para o São Paulo e o Fluminense – décimo quarto time de sua carreira -, entrou com ação na vigésima sexta Vara do Trabalho, cobrando R$2.800 mil. Segundo ele, o Vasco não pagou sequer uma parcela da dívida de R$800 mil, após a rescisão do contrato em 2018. 

Foto: Vasco Notícias