Duas vezes em desvantagem, o Vasco reagiu nos dois tempos e arrancou o empate (2 x 2) com o Santos, na noite de ontem (2), na Vila Belmiro, terminando a sétima rodada em terceiro com 11 pontos, mesma pontuação e com o mesmo número de vitórias (3) do Fluminense, quarto, e do Flamengo, que saiu do nono para o quinto, ao vencer o Bahia. O Vasco tem saldo de cinco gols (10 a 5), o Flamengo não tem saldo (9 a 9), e o saldo do Fluminense é de 1 gol (8 a 7).

TRAVESSÃO E GOLS – O Vasco iniciou fulminante e logo no primeiro minuto Cano acertou o travessão. O Santos abriu o placar aos 21, com a cabeçada certeira do zagueiro Lucas Veríssimo, após cruzamento de Soteldo, mas o Vasco manteve a pegada e empatou aos 41, com Felipe Bastos, que estava em condição legal, embora o VAR tenha levado mais de cinco minutos para confirma que não houve impedimento. Foi o quarto gol de Felipe Bastos em nove jogos este ano.

FALTA E PÊNALTI – Santos e Vasco mantiveram o ritmo intenso no segundo tempo e o resultado se ajustou ao que produziram. Aos 14 minutos, na falta de Miranda em Soteldo, cobrança primorosa de Marinho, que fez 2 x 1 Santos e deixou o goleiro do Vasco sem ação, em seu sétimo gol em onze jogos no ano. O zagueiro Alison, capitão do Santos, tocou com o braço na bola e no fim do jogo reconheceu o pênalti, confirmado pelo VAR, que Cano converteu no empate definitivo aos 28, em seu décimo terceiro gol em 20 jogos este ano.

ESTATISTICA – No histórico do Campeonato Brasileiro, foi o Santos x Vasco de número 63, com o vigésimo quarto empate, e vantagem de 22 vitórias do Santos e 17 do Vasco. Na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro, foi o trigésimo terceiro jogo e o décimo segundo empate. Em seu estádio, a vantagem do Santos é bem ampla sobre o Vasco: 16 vitórias a 5. No atual campeonato, o primeiro empate do Vasco como visitante, depois de 3 x 0 no Ceará e da única derrota (2 x 1) para o Fluminense.

VASCO – Fernando Miguel, Pikachu, Marcelo, Miranda e Henrique; Juninho (Ribamar), Andrey e Felipe Bastos (Carlinhos); Benitez (Neto Borges), Cano (Parede) e Catatau (Bruno Cesar). Técnico – Ramon Menezes. O Vasco é terceiro com 11 pontos em 6 jogos – 3 vitórias, 1 derrota, 2 empates, saldo de cinco gols (10 a 5) – e fará o próximo jogo em São Januário, domingo (6), com o Athletico Paranaense.

SANTOS – João Paulo, Pará, Lucas Veríssimo, Alison (Lucas Braga) e Felipe Jonatan (Jean Mota e depois Arthur Gomes); Jobson (Luan Peres), Diego Pituca e Carlos Sanchez; Soteldo, Marinho e Raniel (Kaio Jorge). Técnico – Cuca, outra vez advertido com cartão amarelo (reclamação). O Santos é décimo primeiro com 8 pontos em 7 jogos – 2 vitórias, 3 derrotas, 2 empates, saldo negativo de um gol (8 a 9) – e fará o próximo jogo em Fortaleza, sábado (5), com o Ceará.

QUATRO CARTÕES – O árbitro Rodrigo d’Alonso Ferreira, de 37 anos, da Federação Catarinense, teve atuação segura e foi correto ao consultar o VAR, em lances polêmicos, nos dois gols do Vasco, acertadamente validados. Não teve problema disciplinr e advertiu com cartão amarelo Parede, Miranda e Henrique, do Vasco, e o volante Jobson, do Santos.

Foto: Código 19