PELA PRIMEIRA VEZ, O VASCO DISPUTARÁ A SÉRIE B DO CAMPEONATO BRASILEIRO PELO 2º ANO CONSECUTIVO, em seu 4º rebaixamento, ao sofrer a 12ª derrota, 10ª como visitante, por 1 x 0 para o Guarani, na noite de ontem (4), no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. A noite muito apagada de Nenê resume a má atuação do time, que completou três jogos sem vencer, ao fazer 2 x 0 e ceder o empate ao Náutico, no Recife, e ao levar a virada do CSA (3 x 1), em São Januário.

OITAVO COM 47 PONTOS, o Vasco foi ultrapassado pelo CSA, sétimo com 51, e pelo Guarani, sexto com 52, e ficou agora mais distante do G4, a 7 pontos do CRB, quinto com 54, que venceu o Sampaio Corrêa por 1 x 0, gol de Emerson, na noite de ontem (4), em Maceió, e do Goiás, quarto com 54. O Goiás, empatado em pontos (54) e em vitórias (14) com o CRB, só se mantém em quarto lugar pelo saldo de gols (13 a 8), terceiro item de desempate, no confronto direto com o CRB.

GUARANI 1 x 0 VASCO SÓ MELHOROU UM POUCO quando os times voltaram do intervalo, depois de praticamente não criarem no primeiro tempo, que chegou a ser sonolento. O Guarani teve uma boa chance logo aos 4 minutos, mas o goleiro Lucão defendeu a finalização de bicicleta do atacante Junior Todinho. O Vasco perdeu boa oportunidade aos 44, quando o lateral Riquelme acertou a trave do goleiro Rafael Martins.

DEPOIS DE LEVAR BOLA do meia Rodrigo Andrade no travessão, o Vasco perdeu a chance da vitória aos 42 minutos. O argentino Cano sofreu pênalti e bateu no meio do gol de Rafael Martins, que caiu para o lado direito, mas esticou a perna e defendeu com o pé esquerdo. A derrota veio no lance seguinte, depois que a defesa do Guarani rebateu escanteio e a bola sobrou para Pablo, em contra-ataque muito veloz, fazer o gol do Guarani aos 43 minutos.

O VASCO TEM MAIS CINCO JOGOS, a contar do clássico de domingo (7) com o Botafogo, em São Januário, onde na sequência receberá Vitória e Remo. Os dois jogos finais fora do Rio serão com o Vila Nova, em Goiânia, e com o Londrina. O time que perdeu para o Guarani ficou devendo muito: Lucão, Zeca (Leo Matos), Castan, Ricardo (Daniel Amorim) e Riquelme (MT); Bruno Gomes, Andrey (John Sanchez), Marquinhos Gabriel e Nenê; Morato (Pec) e Cano.

DESDE QUE ASSUMIU, EM 16 DE SETEMBRO, no 1 x 1 fora de casa com o CRB, foi a terceira derrota em 10 jogos de Fernando Diniz, terceiro técnico do Vasco na Série B em 2021, 0 x 1 com o Sampaio Corrêa, 1 x 3 com o CSA e 0 x 1 com o Guarani. Os empates em 1 x 1 foram com CRB e Cruzeiro, e em 2 x 2 com o Náutico. Das quatro vitórias, duas em São Januário, por 2 x 0 no Goiás e 2 x 1 no Coritiba, e como visitante, 2 x 1 no Brusque e no Confiança. 

FERNANDO DINIZ ESTÁ NO MESMO NÍVEL dos antecessores. O carioca Marcelo Cabo dirigiu o Vasco em 13 jogos, com 5 vitórias, 4 derrotas, 4 empates, e o gaúcho Lisca, em 10 jogos, ganhou 4, perdeu 5 e empatou 1. Está mais do que claro: o problema do Vasco não é de técnico, é de time. Com raras exceções de valores individuais, o time do Vasco é fraco. E quem diz que o time do Vasco é fraco, não sou eu, é a campanha que o time realiza.

Foto: Lance!