Escolha uma Página

Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Ainda não foi neste sábado (20) que o Vasco conseguiu a primeira vitória fora de casa. Pelo contrário, sofreu a oitava derrota, desta vez para o Sport (2 x 1), penúltimo colocado e, mesmo com a oitava vitória como mandante, terminará mais uma rodada na zona de rebaixamento. O Sport ainda deixou de ampliar a vantagem, nos acréscimos, quando o meia-atacante Gabriel, ex-Flamengo, bateu pênalti e o goleiro Fernando Miguel defendeu.

PERDA DE MEMÓRIA – Pikachu criou problema para ser substituído aos 18 minutos do primeiro tempo, cinco minutos após o choque de cabeça que teve com o lateral Sander, e chegou a se revoltar com o médico Carlos Fontes, que o tirou “por perda momentânea de memória”. O jogador, visivelmente aborrecido, chegou a jogar no chão, com raiva, uma garrafa de água mineral, enquanto o argentino Andrés Rios já se preparava para entrar em seu lugar.

BEM SUPERIOR – O Sport foi bem superior ao Vasco na maior parte do jogo. Mandou uma bola na trave em chute de Michel Bastos aos 16 e nove minutos depois Mateus Gonçalves fez 1 x 0, aos 25, com chute forte e bem colocado no ângulo, que o goleiro Fernando Miguel só olhou. O Vasco empatou aos 39, com o meia Fabrício mostrando tranquilidade para evitar o goleiro Mailson.

De cabeça, Cláudio Winck marcou o gol que garantiu a vitória ao Leão. (Foto: Anderson Freire/Sport Club do Recife)

GOL DE CABEÇA – O gol da vitória do Sport, aos 23 do segundo tempo, foi do lateral-direito Claudio Winck, após cruzamento do outro lateral, Sander. Claudio Winck, 24 anos, é gaúcho de Portão, município da região metropolitana de Porto Alegre, filho do ex-meio-campo Sergio Winck, que brilhou na dupla Grenal, e sobrinho do ex-lateral-direito Luis Carlos Winck, que fez o cruzamento sob medida para Sorato marcar de cabeça, no Morumbi, o gol do título brasileiro de 1989 do Vasco. Sport 2 x 1 Vasco, R$86.355,00. 1.860 pagantes. Boa arbitragem do goiano Wilton Sampaio.

ENTALADO – Quem estava com o Vasco entalado na garganta era o técnico Milton Mendes, 53 anos, que dirigiu o time em 28 jogos – 11 vitórias, 11 derrotas, 6  empates -, entre 19 de março e 21 de agosto de 2017, demitido após o quinto jogo sem vitória. Ele encarou jogadores como o zagueiro Rodrigo (capitão) e o meia Nenê, que eram considerados líderes da equipe. 

SEXTA EM CASA – Em 15 jogos com o mando de campo, foi a sexta vitória do Sport, que terá mais quatro jogos em casa para tentar escapar do rebaixamento: Ceará, Vitória, Flamengo e Santos (última rodada, 2 de dezembro). Fora do Recife, o Sport também terá mais quatro jogos: Grêmio, Fluminense, Chapecoense e São Paulo.

MISSÃO DO VASCO – Depois de sofrer a oitava derrota como visitante, o Vasco terá mais três jogos fora do Rio: Grêmio, Corinthians e Ceará (última rodada, 2 de dezembro, em Fortaleza), além do jogo com o Fluminense, que terá o mando de campo. Os quatro últimos jogos do Vasco em São Januário serão com o Internacional, na próxima sexta (26), Atlético Paranaense, São Paulo e Palmeiras.

SITUAÇÃO – Igual em pontos (34) ao América Mineiro, que neste sábado (20) empatou (1 x 1) com o Grêmio, o Vasco leva vantagem (2) no saldo negativo de gols (o do Vasco é de 7, o do América é de 9). O Vasco marcou 35 e sofreu 42. O América marcou 26 e sofreu 35. Em vitórias, primeiro ítem de desempate, Vasco e América estão iguais com 8. O Vasco só perde uma posição, se o Vitória ganhar amanhã (21) do Corinthians, em Salvador.