Apesar da pausa do futebol, devido à pandemia do novo coronavírus, o Vasco só tem motivo para comemorar o sucesso do programa Sócio Gigante, que recebeu adesão de 190 mil sócios. Esse número, tão expressivo, só pode surpreender os que não conhecem a força de um clube de tradição e história, a quatro meses de seus 122 anos de fundação (21/8/1898). O Vasco já entregou 125 mil carteiras e mais 10 mil serão encaminhadas esta semana.

TRANSPARÊNCIA – A partir da próxima segunda, 4 de maio, o site Sócio Gigante apresentará quatro opções para a escolha. A primeira, a renovação por seis meses, com extensão de gratuidade por dois meses, e a segunda opção, a renovação por um ano, com extensão de gratuidade de três meses, em virtude da pandemia do novo coronavírus. Mesmo com o planejamento afetado, o Vasco mantém a confiança dos sócios, pela transparência do programa.

GRANDE SALTO – O aumento da adesão dos sócios, de 34 mil para 190 mil, foi o grande salto do programa do Vasco, transformando as adesões no maior programa de novos sócios das Américas. O clube decidiu também que 20% do programa Camisas Negras, com mensalidade de R$7,98 continuarão sendo destinados a instituições sociais. No ano passado (2019), o valor depositado pelo clube chegou quase a R$150 mil.

FUTEBOL DE BASE – Com planejamento bem estudado por uma equipe preparada, o Vasco decidiu também que o programa De Norte a Sul, voltado aos sócios que vivem fora do estado do Rio de Janeiro, ao custo mensal de R$14,90, será todo destinado às categorias de base. Os vascaínos que acompanham o trabalho de revelação de novos valores mostraram-se empolgados com a iniciativa. Mais de 30 mil já aderiram ao programa de novos sócios.

MÉDICO MELHORA – O médico Clóvis Munhoz, de 68 anos, ortopedista do Vasco durante 24 anos – 85 a 2004, 2008 a 2013 -, completa hoje (27) 33 dias internado, diagnosticado em 25 de março com o novo coronavírus. Ele deixou a UTI e se recupera bem, com quadro clínico estável. Dr. Clóvis, ortopedista e diretor do CREB, em Botafogo, foi responsável pela recuperação do técnico Ricardo Gomes, que ficou quatro anos afastado, após o AVC hemorrágico que sofreu em Vasco x Flamengo, no Engenhão, em 28 de novembro de 2011. 

Foto: CBF