O Vasco subiu três posições e está em décimo quarto com 35 pontos, ao vencer (3 x 2) o Atlético Mineiro, que desceu para o quarto lugar com 54, na noite de ontem (23), em São Januário, mas pode cair de novo, dependendo dos jogos de hoje (24) do Fortaleza, Bahia e Sport. O Vasco fez 2 x 0 no primeiro tempo, após o Atlético perder pênalti, e chegou aos 3 x 0, mas acabou sofrendo dois gols em lances de desatenção da defesa. Com dois gols, Cano é o terceiro artilheiro do campeonato, com sete.

SITUAÇÃO – O Vasco tem 35 pontos e cai uma posição se o Fortaleza (35) ao menos empatar com o Atlético, em Goiânia. O Bahia, com 32, ficará igual ao Vasco em pontos e empatará em vitórias (9), mas terá que vencer o Sport, em Recife, por três gols para ter mais saldo que o Vasco. O Sport, com 32, se vencer o Bahia, fica igual ao Vasco, em pontos (35), mas com mais uma vitória (10 a 9). Independente da combinação de resultados, o importante para o Vasco foi ter voltado a ganhar.

MÉRITOS – Desde logo, é bom que ressalte: o Vasco teve méritos para vencer e complicar o campeão mineiro, que perdeu o terceiro lugar para o Flamengo por um ponto (55 a 54). Ainda que a atuação não tenha sido brilhante, pelo menos o Vasco mostrou correção de certas falhas, principalmente de marcação e cobertura. A volta do argentino Martin Benitez, em seu primeiro jogo com Luxemburgo, deu o toque de qualidade na criatividade como no lance do terceiro gol, segundo de Cano.

PÊNALTI – Depois do jejum de seis jogos, Cano fez 1 x 0 aos 18, com assistência de cabeça do lateral Leo Matos, que três minutos antes cometeu pênalti com o braço, mas a sorte ajudou o Vasco porque Hyoran cobrou na trave. O Atlético quase empatou aos 21, mas o chute forte de Savarino também bateu na trave. Aos 32, após cruzamento de Leo Matos, Yago Pikachu carimbou a trave, mas teve calma para aproveitar o rebote e fazer 2 x 0, vantagem que o Vasco mereceu antes de sair para o intervalo.

A JOGADA – No início do segundo tempo, o árbitro Vinícius Araújo, da Federação Paulista, marcou outro pênalti a favor do Atlético – de Castan em Jair -, mas foi corrigido pelo VAR e anulou, aos seis minutos. O Vasco ampliou a vantagem, com a jogada mais bonita da noite, na troca de passes de Benitez com Leo Matos e Talles, e com o lançamento de Benitez para Cano dominar no peito e concluir de canhota, no canto, aos 14 minutos.

TARDIA – O Atlético sentiu os 3 x 0, no sexto jogo em que sofreu três gols no atual campeonato, mas não esmoreceu, embora a reação tenha sido tardia. O meia Hyoran fez o primeiro gol aos 23, mas o segundo gol, que Sasha marcou, aos 49, foi acompanhado do apito final, após a nova saída. Enfim, a reabilitação do Vasco, depois da goleada (4 x 1) para o Bragantino, e da derrota (1 x 0), em casa, para o Coritiba. Bom dizer: quarto jogo do Brasileiro 2020 em que o Vasco fez três gols.

SEXTA VITÓRIA do Vasco, em casa, terceira no returno, aumentando o otimismo para o jogo adiado da primeira rodada com o Palmeiras, quarta (27), no Allianz Parque. Depois, o Vasco terá mais três jogos como visitante, com Flamengo, Fortaleza e Corinthians. Os outros três jogos restantes serão em São Januário, com Bahia, Internacional e Goiás.

VASCO – Fernando Miguel, Leo Matos (Caio Tenório), Marcelo Alves, Castan e Henrique; Bruno Gomes, Leo Gil (Caio Lopes) e Benitez (Carlinhos); Yago Picachu (Werley), German Cano e Talles (Gabriel Pec). Técnico – Vanderlei Luxemburgo. Jogo 75 e o Vasco empatou em vitórias (28) com o Atlético, e 19 empates. No Brasileiro, jogo 62, com 23 vitórias do Atlético, 22 do Vasco, e 17 empates. São Januário faz a diferença: em 33 jogos, 15 vitórias do Vasco, 7 do Atlético e 11 empates.

ATLÉTICO – Everson, Guga, Gabriel, Junior Alonso e Arana (Nathan); Allan, Jair e Hyoran; Savarino (Marrony), Vargas (Sasha) e Keno, que chegou ao oitavo jogo sem gol. O técnico argentino Jorge Sampaoli sofreu a nona derrota em 38 jogos dirigindo o Atlético, com 22 vitórias e 7 empates. É o segundo treinador do Atlético, a disputar o Brasileiro, do início ao fim, o que só aconteceu em 2012 com Cuca, técnico da única Libertadores que o Atlético ganhou em 2013.

764 GOLS – Depois dos jogos da noite de ontem (23) – São Paulo 1 x 1 Coritiba, Vasco 3 x 2 Atlético Mineiro -, o Brasileiro 2020 registra 764 gols em 308 jogos, média de 2.48 gols por jogo. O Flamengo tem o ataque mais positivo (53), seguido do Internacional (53), que tenta neste domingo (24) furar a defesa menos vazada, a do Grêmio (25).

Foto: UOL