Escolha uma Página

O Vasco está vendendo o artilheiro Marrony, de 21 anos, a preço de banana, a julgar pelos 20 milhões de reais que o Atlético Mineiro vai pagar, sobrando-lhe 18 milhões, porque o restante ficará com o Volta Redonda, em fase final de acerto. 20 milhões de reais, na conversão de hoje, representam menos de 5 milhões de euros, algo insignificante, em termos de transações internacionais. Na Europa, qualquer novato tem, pelo menos, valorização cinco vezes superior a esse valor.

SÓ MESMO com a corda no pescoço, e bem apertada, para justificar a transação. Pelo que sei, através do noticiário, de vez que não tenho interesse em problema interno de clube algum, o Vasco acaba de acertar janeiro, mas fevereiro, março e abril estão em aberto. Hoje, 12 de junho, deixa o Vasco, que fixou o dia 20 do mês subsequente para depositar o salário na conta dos jogadores, a uma semana do prazo do pagamento de maio. Mas, soa estranho pagar maio, devendo os três meses anteriores.

OS CLUBES, pelo que consta, decidiram há algum tempo desmembrar pagamentos. Há o salário, propriamente dito, e o direito de imagem. E é precisamente no tal direito de imagem que as dívidas se avolumam de forma tal, tornando-se outro problema ainda maior.A posição da FIFA, sempre exigente em suas cobranças, é agora a preocupação maior dos clubes, que,entre outras punições, ficam sob ameaça de perda de pontos, caso do Cruzeiro, cuja má gestão foi o preço do rebaixamento.

DE CERTA FORMA, causa estranheza que o próprio Atlético, que só na semana passada pagou atrasados, evitando que os jogadores chegassem ao terceiro mês sem receber, esteja investindo tanto. Além de pagar 20 milhões para atender o interesse do técnico, que pediu Marrony, já investiu no zagueiro argentino Alan Franco, do Independiente del Valle, do Equador, e no volante Leo Sena, do Goiás. Os jogadores que já estão elenco veem tudo muito estranho porque seus pagamentos seguem atrasados.

MARRONY tinha contrato até 2023, com cláusula estipulando multa de 35 milhões de euros, soma bem diferente da que o Vasco vai receber. O retrospecto dele é de 84 jogos e 11 gols, nenhum na estatística de 2020, em que ainda não marcou em 13 jogos. Marrony foi registrado com porque a mãe gostava muito da dupla sertaneja cantando Vida vazia, sucesso de 1999, ano em que nasceu. Bom dizer: Marrone é José Roberto Ferreira. Bruno é Vinícius Félix de Miranda. 

Foto: Lance