O Vasco quebrou o jejum, após três empates e seis derrotas, ao vencer o Caracas na noite de ontem (28), em São Januário, com o único gol marcado pelo atacante Tiago Reis, aos 43 do segundo tempo, garantindo a classificação com o empate na próxima quarta (4), em Caracas, ou até mesmo com derrota por 2 x 1, pelo gol como visitante. O lance do gol começou com o bom passe do volante Andrey para o atacante Parede, que avançou e cruzou sob medida para a finalização de Tiago Reis.

AS CHANCES – Ainda que não tenha voltado a jogar bem, o Vasco mereceu vencer porque dominou o Caracas, que já se sabia ser um time de retranca. No entanto, há que ser trabalhada a finalização de seus atacantes, especialmente de Ribamar, que deveria aproveitar mais as chances, como fez Tiago Reis, que ao substituí-lo só precisou de três minutos para decidir o jogo. O Vasco é um time que chuta pouco, e mal, e não só de meia distância. É um fundamento decisivo do jogo, que precisa ser melhorado.

O PÊNALTI – Com o adversário concentrado na defesa e ocupando bem os espaços, a chance do pênalti que o lateral Henrique sofreu na falta do lateral Luis Casiani, de 20 anos, em seu quinto jogo como profissional, não poderia ter sido perdida com a displicência que teve o meia Carlinhos na cobrança, praticamente entregando a bola nas mãos do goleiro Beycker Velasquez. A conversão, aos 13 minutos, poderia ter dado ao Vasco a sequência de mais chances de gol.

A EXPULSÃO – Além de nada ter produzido nos onze minutos em que ficou em campo, ao substituir Ribamar aos 27, Ygor Catatau foi imprudente ao cometer três faltas consecutivas no meia Diego Castillo, a última com o braço, após o primeiro cartão amarelo. O árbitro Michael Espinoza, da Federação Peruana, acertou em expulsá-lo, aos 38 minutos. 

VASCO – Fernando Miguel, Caio Tenório, Miranda, Castan e Henrique; Andrey, Leo Gil (Marcos Junior) e Carlinhos (Ygor Catatau); Vinícius (Parede), Ribamar (Tiago Reis) e Talles. Primeira vitória do técnico português Ricardo Sá Pinto, vencido na estreia pelo Corinthians (2 x 1). O Vasco volta a campo no próximo domingo (1), em Goiânia, com a obrigação de ganhar do lanterna Goiás. Com 21 pontos, a vitória o levaria a subir três posições e a ultrapassar Botafogo, Bragantino e Bahia, com 19.

SÃO PAULO PERDE – No estádio La Fortaleza, da província de Lanús, a 11 km de Buenos Aires, o São Paulo fez 1 x 0, gol de Brenner aos 13, mas levou a virada no segundo tempo, com os gols de José Sand, aos 8 e aos 34, e conseguiu empatar com o segundo gol de Brenner aos 37, mas perdeu (3 x 2), com o gol de Facundo Quignon, meia portenho de 27 anos. José Sand, aos 40 anos, é o maior artilheiro do Lanús, com 154 gols em 184 jogos.

1 x 0 É SUFICIENTE – Com o critério do gol fora de casa, o São Paulo se classifica para as quartas de final com 1 x 0 ou 2 x 1, na próxima quarta (4), no Morumbi, onde o Lanús, que não disputava jogo oficial desde março, terá a vantagem do empate. Foi o décimo jogo sem vitória do São Paulo, em mata-mata, com cinco empates e a quinta derrota. Domingo (1), o São Paulo estará no Maracanã para o jogo de encerramento do turno do Brasileiro 2020.

Foto: Record