COM OS GOLS DE SEUS ARTILHEIROS BENZEMA E MBAPPÉ, a França venceu a Espanha de virada e ganhou a Liga das Nações 2021, segundo torneio mais importante de seleções da Europa, depois da Eurocopa. Os campeões do mundo de 2018 repetiram na noite deste domingo (10), no estádio Giuseppe Meazza, no bairro de San Siro, em Milão, a virada e o placar de 2 x 1 da semifinal com a Itália, que ficou com o terceiro lugar, ao vencer a Bélgica também por 2 x 1.

FINAL ELETRIZANTE – Depois de poucas emoções no primeiro tempo, França e Espanha fizeram final eletrizante, após o atacante Mikel Oyarzabal, com lançamento preciso do volante e capitão Sergio Busquets, abrir o placar aos 14 minutos, com chute de canhota, rente à trave esquerda. Ao entrar na área, Benzema empatou de pé direito, no ângulo esquerdo, aos 16, e aos 35, de pé esquerdo, Mbappé fez o gol da virada, após receber o lançamento do meia Paul Pogba.

VAR CONFIRMA GOL – Quando o meia Paul Pogba fez o lançamento em linha reta para Mbappé, o autor do gol do título parecia impedido, mas o VAR orientou o árbitro Anthony Taylor a confirmar o gol. De acordo com o árbitro de video, Mbappé estava antes da linha de três zagueiros, em posição correta. Inglês, nascido em Manchester, Anthony Taylor apita na Premier League desde 2010 e em 2013 entrou na Fifa. No próximo dia 20, completará 43 anos. 

21 ANOS DEPOIS – Embora campeã do mundo em 2018, a França só voltou a ser campeã da Europa depois de 21 anos. O último título havia sido em 2000, no estádio De Kuip, em Roterdam, na Holanda, ao vencer a Itália por 2 x 1, no domingo, 2 de julho. A França ganhou neste domingo (10) a segunda edição da Liga das Nações. A primeira foi de Portugal, em 3 de junho de 2019, ao vencer a Holanda por 1 x 0, gol de Gonçalo Guedes.

CAPITÃO EM DESTAQUE – Titular e capitão da seleção desde 2008, o goleiro Hugo Lloris, de 34 anos, 1,88m, garantiu o título nos cinco minutos dos acréscimos, ao fazer defesas notáveis com a mão direita, em chutes de Azpilicueta e Oyarzabal. Ele iniciou a carreira em 2005 no Nice, cidade onde nasceu, na Riviera Francesa, com seu belo mar azul, e em 2012, após ganhar a Copa da França pelo Lyon, saiu para o londrino Tottenham, onde completará 10 anos em 2022.

OS CAMPEÕES – Hugo Lloris (cap), Koundé, Varane (Upamecano) e Kimpembe; Pavard (Dubois), Paul Pogba, Tchouaméni e Theo Hernandez; Mbappé, Benzema e Griezmann (Verrotout) – a França do técnico Didier Deschamps, que ganhou o presente antecipado de 53 anos, que completará na próxima sexta (15). Meia técnico de muita categoria, ele é o terceiro campeão do mundo como jogador (1998) e técnico (2018), depois de Zagallo (58-62 e 70) e Beckenbauer (74 e 90).

EXCELENTE RENOVAÇÃO – Merece aplausos o excelente trabalho de renovação que Luis Enrique Martinez, de 51 anos, ex-meia campeão no Real Madrid e no Barcelona, está realizando. Quando assumiu, a seleção estava desacreditada pela má campanha na Copa do Mundo de 2018, e teve o apoio da Real Federação Espanhola de Futebol para promover as mudanças. O meia Gavi, de 17 anos, do Barcelona, é o símbolo dessa renovação.

UNAI SIMÓN, Azpilicueta, Eric Garcia, Laporte e Marcos Alonso; Sergio Busquets (cap), Gavi (Koke) e Rodri (Fornals); Ferran Torres (Merino), Mikel Oyarzabal e Sarabia (Pina) – a seleção do técnico Luis Enrique Martinez, que levou a Espanha à final da Liga das Nações, caindo de pé na final com a França. Os mais de cinco mil espanhóis, presentes ao estádio de San Siro, aplaudiram sua seleção. Jogo 36, com 13 vitórias da França, 16 da Espanha e 7 empates.

ESTATISTICA DA FINAL – França 2 x 1 Espanha teve 24 finalizações, 14 na direção do gol (9 da Espanha). Posse de bola, 65% da Espanha, 35% da França. Precisão de 85% nos 626 passes da Espanha e de 78% nos 352 da França. 12 escanteios (7 da Espanha). Só dois impedimentos, ambos da França. O árbitro Anthony Taylor marcou 25 faltas (11 da Espanha) e aplicou quatro cartões amarelos, o único da Espanha para o zagueiro Laporte, que joga no Manchester City.

ITÁLIA EM TERCEIRO – Horas antes da final em Milão, a Itália ficou com o terceiro lugar da Liga das Nações, ao vencer a Bélgica por 2 x 1, no estádio da Juventus, em Turim. O meia Nicolò Barella, de 24 anos, da Inter de Milão, fez o gol mais bonito, de voleio, no primeiro minuto do segundo tempo, e sofreu o pênalti, que Domenico Berardi, atacante de 27 anos, do Sassuolo, converteu no segundo gol. Aos 41, Charles Ketelaere, meia de 20 anos, revelação do Bruge, fez o gol belga.

PARABÉNS DO REAL MADRID – Logo após o jogo, na conta de seu Twitter oficial, o Real Madrid parabenizou a Federação Francesda de Futebol pela conquista, e incluiu na mensagem o pedido para que Mbappé, autor do gol da vitória, seja o ganhador da Bola de Ouro de melhor do mundo na eleição de novembro. Mbapé, campeão e revelação da Copa do Mundo de 2018, é o sonho de consumo do Real Madrid, desde a saída de Cristiano Ronaldo. Mas o PSG resiste.

Foto: Vavel / Metropoles / Esporte News Mundo / Notícias ao Minuto / Fute News