O BOTAFOGO CONFIRMOU A VOLTA À SÉRIE A EM 2022, COM UMA VIRADA DE CAMPEÃO, em sua 15ª vitória, primeira por 2 x 1, em 18 jogos como mandante, sobre o Operário, de Ponta Grossa, no Paraná, na tarde de ontem (15), diante de quase 30 mil torcedores (R$925.115,00, com 24.087 pagantes), no estádio Nilton Santos, pela 36ª e antepenúltima rodada da Série B. Retribuindo os aplausos, o técnico Enderson Moreira deu a volta no gramado e agradeceu o apoio.

 NÚMEROS EXPRESSIVOS – Faltando ainda duas rodadas, o Botafogo lidera com números expressivos: 66 pontos em 36 jogos, 19 vitórias, 9 empates, 8 derrotas, ataque mais positivo (53 gols, média de 1.47 por jogo), defesa menos vazada (29 gols, 0,80 por jogo). Rafael Navarro, autor do gol da virada, chegou aos 14 gols e está disputando a artilharia  com  Edu, do Brusque, e Leo Gamalho, do Coritiba, que têm mais 2 gols. 

DAS 15 VITÓRIAS EM 18 JOGOS EM CASA, foi a primeira por 2 x 1, numa virada que mostrou a competência do técnico ao trocar peças na volta do intervalo e a capacidade de reação da equipe, muito empenhada, como em todos os jogos. O Botafogo não sofreu gol em casa, em 12 jogos (7 no turno) e perdeu apenas duas vezes: 2 x 1 para o Goiás, no turno, e 2 x 1, de virada, para o Avaí, no returno. O único empate (3 x 3) foi com o Cruzeiro, no turno.

SEIS DOS DOZE JOGOS EM QUE NÃO SOFREU GOL, em casa, o Botafogo venceu por 2 x 0 sobre o Coritiba, CSA, Vasco, Ponte Preta, Sampaio Corrêa e CRB; duas vitórias por 3 x 0 no Remo e Brusque; três por 1 x 0, no Vitória, Brasil e Confiança, e a goleada por 4 x 0 no Londrina. O Botafogo só não fez gol em 1 jogo como mandante (0 x 2 Goiás).

A VITÓRIA QUE CONSOLIDOU A VOLTA DO BOTAFOGO à Série A em 2022 teve significado muito especial: foi a 200ª em 871 jogos no estádio Nilton Santos, que o clube administra desde 2015 e que passou a ter, por decreto municipal de fevereiro de 2016, o nome do maior lateral do mundo em todos os tempos. Nilton Santos é o recordista de jogos (721) com a única camisa de clube que vestiu, e foi titular em todos os jogos da seleção bicampeã mundial em 58-62.

HOMENAGEM – Os torcedores ficaram felizes em rever Manga, um dos maiores goleiros do Botafogo e da história do futebol, homenageado no intervalo. O pernambucano Hailton Correia Arruda, o Manga, hoje aos 84 anos, é o sexto dos que mais vestiram a camisa alvinegra, em 442 jogos, sofrendo menos de 1 gol por jogo (394), entre 1959 e 1968. Foi bicampeão 61-62 e 67-68, e em 15 jogos pela seleção brasileira, ganhou 10, sem sofrer gol em 5, e a única derrota foi para Portugal (3 x 1), na Copa de 66, na Inglaterra. Manga foi ovacionado no estádio Nilton Santos.

BOM LEMBRAR – Depois de Nilton Santos, a Enciclopédia – definição do saudoso colega e amigo Luiz Mendes -, com 721 jogos, outro imortal bicampeão do Mundo, Garrincha, maior ponta da história do futebol em todos os tempos, vestiu e honrou a camisa do Botafogo em 612 jogos. O terceiro é o ex-goleiro Jefferson, com 459 jogos, seguido do lateral Valtencir, com 453, e do notável artilheiro Quarentinha, quinto, com 444 jogos. 

DIEGO LOUREIRO, Daniel Borges (Ronald), Joel Carli, Kanu e Hugo (Carlinhos); Oyama, Pedro Castro (Barreto) e Chay (Frizzo); Marco Antonio (Warley), Rafael Navarro e Diego Gonçalves – o time da virada de ontem (15) sobre o Operário. Nenhum jogador do Botafogo advertido com cartão amarelo pelo árbitro paraense Dewson Freitas. Domingo (21), o Botafogo visita o Brasil, em Pelotas, e o último jogo será dia 28 com o Guarani, no estádio Nilton Santos.

Fotos: EBC, Gazeta Esportiva, Lance!, FogãoNet, Futebol Interior e Esporte R7.