Foi de virada a sexta vitória do Fluminense, que subiu duas posições e terminou a rodada em sexto com 21 pontos em 14 jogos, na noite de ontem (7) sobre o lanterna Goiás, no Estádio Olímpico de Goiânia. Rafael Moura fez o gol do Goiás e Yago Felipe empatou. Na volta do intervalo, Fred marcou de cabeça o segundo gol em seu jogo 300, mas Rafael Moura empatou de pênalti. Em seis minutos, o Fluminense confirmou a vitória (4 x 2), com os gols de Nenê aos 24 e Digão aos 30.

A VOLTA – Fred havia feito 172 gols em 288 jogos, na primeira passagem no clube, entre 2009 e 2016, e agora em 2020, só marcou 2 gols em 12 jogos. Ele foi dos primeiros a apresentar pêsames ao atacante Rafael Moura, que fez os dois gols do Goiás, no primeiro jogo após o falecimento da mãe, Júlia. O Fluminense foi o quinto clube da carreira de Rafael Moura, mineiro de 37 anos, com 28 gols em 86 jogos, entre 2007 e 2012.

FLUMINENSE – Muriel, Igor Julião (Daniel), Nino, Digão e Danilo Barcelos; Hugo (Wisney), Dodi, Yago Felipe e Nenê (Christian); Fernando Pacheco (Caio Paulista) e Fred (Felipe Cardoso). Técnico – Odair Hellmann. O Fluminense subiu do oitavo para o sexto lugar, com 21 pontos em 14 jogos  6 vitórias, 5 derrotas, 3 empates, saldo de quatro gols (21 a 17) – e receberá o Bahia, domingo (11), no Maracanã. Quarta (14), o jogo da rodada 16 será com o Atlético, no Mineirão.

A SEGUNDA – Foi a segunda vitória do Fluminense como visitante, após 1 x 0 no Athletico Paranaense, após 1 x 1 com o Botafogo, no estádio Nilton Santos, e a derrotas para Grêmio (0 x 1), Bragantino (1 x 2), São Paulo (1 x 3) e Sport (0 x 1). Com menos três jogos e três trocas de técnicos, o Goiás é último, com 9 pontos em 11 jogos – 2 vitórias, 6 derrotas, 3 empates, saldo negativo de cinco gols (17 a 22) -, sofreu a quarta derrota como mandante, e os próximos jogos serão como visitante, sábado (10), com o Atlético Mineiro e terça (13), com o Flamengo, no Maracanã.

BOA SUBIDA DO SÃO PAULO – O tricolor paulista voltou a vencer após sete jogos e a não sofrer gol depois de dez jogos, subindo do sétimo para o terceiro lugar, com 23 pontos em 13 jogos, ao ganhar (3 x 0) do Atlético Goianiense, no Morumbi. A vitória valeu também como um grande alívio para o técnico Fernando Diniz, que estava sob forte pressão. Brenner fez 1 x 0 aos 47 do primeiro tempo, e Gabriel Sara marcou o segundo aos 20, e fez o cruzamento para Brenner marcar o terceiro aos 26 minutos.

SUPERSTIÇÃO – Os jogadores, alguns da comissão técnica e outros são-paulinos supersticiosos atribuíram a volta da vitória ao uso da terceira camisa, de tonalidade escura, que o time havia usado nos 3 x 1 sobre o Fluminense, na oitava rodada, no domingo, 6 de setembro, no Morumbi. O São Paulo está invicto como mandante, com cinco vitórias – 1 x 0 no Fortaleza e no Athletico Paranaense, 2 x 1 no Corinthians, 3 x 1 no Fluminense, os 3 x no Atlético Goianiense – e dois 1 x 1 no Morumbi, com Bahia e Bragantino. 

SÃO PAULO – Tiago Volpi, Juanfran (Igor Vinícius), Diego, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Igor Gomes e Gabriel Sara; Vítor Bueno (Tchê Tchê) e Brenner (Pablo). Técnico – Fernando Diniz. Com 23 pontos em 15 jogos – 6 vitórias, 2 derrotas, 5 empates, saldo de cinco gols (18 a 13) -, o time será visitante nos jogos de sábado (10) com o Palmeiras e quarta (14) com o Ceará. O São Paulo só sai do terceiro lugar, se hoje (8) o Internacional, com 22 pontos, vencer o Bragantino. Nesse caso, o Inter também tiraria o Flamengo, com 24, da vice-liderança.

Foto: Lucas Mercon/Fluminense