Muito mais do que a segunda vitória consecutiva sem sofrer gol. Muito além dos doze pontos de vantagem na liderança do campeonato. Acima de tudo, uma vitória histórica! O Barcelona superou o Real Madrid na estatística dos confrontos, com 96 vitórias, contra 95 do arquirrival, o que não acontecia há exatos 88 anos no maior clássico do mundo! Bom lembrar: foi o jogo de número 242 entre Real Madrid x Barcelona, registrando-se 51 empates.

HÁ 15 ANOS – Desde 2004 o Real Madrid não sofria três derrotas consecutivas em seu estádio Santiago Bernabeu. Perdeu para o Girona (2 x 1, de virada), pelo Campeonato Espanhol; perdeu (3 x 0) para o Barcelona, na última quarta (27) de fevereiro, pela semifinal da Copa do Rei, e perdeu (1 x 0) para o Barcelona, neste primeiro sábado (2) de março, pela rodada 26 do Campeonato Espanhol. “Uma impotência como há tempos não se via” – resumiu o diário esportivo Marca en sua edição online.

GOZAÇÃO – No vestiário alegre do Barcelona, comemorando a segunda vitória consecutiva e a décima oitava no campeonato, os jogadores fizeram um video que o clube postou em seguida nas redes sociais: “Olha aí, gente. Não é o video da última quarta-feira que vocês estão vendo não. Esse é outro video, feito agora, sábado, 2 de março, após a segunda vitória em Madrid” – diziam os jogadores, felizes, sorridentes a não mais poder depois de 4 x 0 no placar agregado dos dois jogos em quatro dias.

11 EM 10 ANOS – A estatistica é impressionante depois da vitória 31 do Barcelona nos clássicos com o Real, em Madrid. Foi a vitória de número 11 nos últimos 10 anos, começando pela goleada (6 x 2) em 2009. Em onze vitórias do Barcelona sobre o Real Madrid, desde 2009, o Real Madrid não conseguiu fazer gol em cinco: 2 x 0, 4 x 0, 3 x 0 duas vezes e o 1 x 0 deste sábado (2). Por isso, o diário Marca publicou um subtítulo: “O Barcelona se sente sempre mais à vontade em Madrid”.

Fotos: Site Oficial do Barcelona

O CARRASCO – Autor do gol deste primeiro sábado (2) de março, o apoiador Ivan Rakitic, nascido na Suíça e naturalizado croata, é um dos carrascos do Real Madrid. De 2011 a 2014, enquanto capitão do time do Sevilha, fez dois gols, o que repetiu desde que está no Barcelona, em junho de 2014. Rakitic, campeão do mundo em 2018, marcou 15 gols em 102 jogos pela seleção da Croácia, que defende desde 2007. Ele resume de coração aberto: “Amo Barcelona, cidade e clube”

TOQUE DO GOL – Ivan Rakitic tabelou pela direita com o lateral Sergi Roberto e ganhou no pique do zagueiro Sergio Ramos, capitão do Real Madrid. Quando o goleiro belga Courtois, de 1,99m, saiu do gol e tentou fechar o ângulo, Rakitic o encobriu com um leve toque de pé direito. O jogador do Barcelona estava do lado do pequena área e ficou olhando a bola entrar, enquanto Messi e Sergi Roberto corriam em sua direção para o abraço. Foi o único chute de Rakitic na direção do gol.

SUPERTIME – A segunda vitória consecutiva do Barcelona sobre o Real Madrid foi assistida por 750 milhões de torcedores nos cinco continentes, com muitos aplausos para o supertime de mais prestígio no mundo: Ter Stegen, Sergi Roberto, Piqué, Lenglet e Jordi Alba; Rakitic, Busquets (Semedo, aos 46) e Arthur (Vidal, aos 30); Messi, Suarez e Dembélé (Philippe Coutinho, aos 33). O técnico Ernesto Valverde fez todas as substituições no segundo tempo.

CINCO CARTÕES – O jogo seria apitado por Alejandro Hernandez, mas ele teve problema muscular durante o treinamento e Alberto Undiano Mallenco o substituiu. O árbitro mostrou o primeiro cartão amarelo, logo com um minuto e meio de jogo, para Busquets, por falta em Kross. Os outros cartões, no segundo tempo, foram para Sergio Ramos aos 15, por atingir Messi; Lenglet aos 18, por uma cotovelada em Sergio Ramos; Marco Asensio, aos 36, por falta em Busquets, e Carvajal, aos 43, por falta em Lenglet.

EXPULSÃO – O fim do primeiro tempo foi marcado por uma discussão entre os capitães Messi e Sergio Ramos, que deixou o meia do Barcelona caído ao atingi-lo com o cotovelo, sem que o jogo foi interrompido. Messi, ao se levantar, reclamou e levou a testa à testa de Sergio Ramos, mas o confronto terminou em segundos. Aí os times saíram para o intervalo. Alguns jogadores do Barcelona, entre eles Busquets e Suarez, pediram a expulsão do capitão do Real Madrid. O árbitro fingiu não ouvir.