Com um gol no primeiro minuto de cada tempo, o Porto venceu pela primeira vez a Juventus (2 x 1), com atuação apagada de Cristiano Ronaldo, que só deu um chute em gol, defendido pelo argentino Marchesin, aos 37 do segundo tempo, dois minutos depois que Federico Chiesa fez o gol italiano, na noite de ontem (17), no estádio do Dragão, no Norte de Portugal. O Porto só precisa do empate para avançar às quartas de final, e a Juventus, de vitória por 1 x 0, dia 9 de março, em Turim.

ÚNICA EM SEIS – No primeiro jogo em que se enfrentaram, na quarta-feira, 16 de maio de 1984, no estádio São Jacó, na Basileia, terceira maior cidade suíça, Porto e Juventus decidiram a Recopa, a taça das taças dos campeões europeus, e a Juventus, liderada pelo notável meia francês Michel Platini, venceu (2 x 1), com os gols do italiano Vignola e do polonês Boniek. O técnico era Giovanni Trappatoni. O meia Antonio Souza fez o gol do Porto, do lendário técnico José Maria Pedroto. Os demais jogos foram todos pela Liga dos Campeões, com um empate e três vitórias da Juventus, até o Porto ganhar ontem (17).

BEM ORIENTADO – No sorteio, o Porto pediu a bola e seguiu a boa orientação do técnico Sergio Conceição, que treinou início rápido de jogada. O meia uruguaio Betancur até conseguiu desarmar o meia colombiano Uribe, mas atrasou mal para o goleiro polonês Szczesny, vencido pelo carrinho do atacante iraniano Mehdi Taremi, que fez 1 x 0 no primeiro minuto. O Porto ganhou moral e foi melhor até a saída para o intervalo, com chances de ter ampliado o placar, o que foi evitado pelo goleiro.

OUTRO RÁPIDO – O Porto recuperou a bola logo que a Juventus deu a saída no segundo tempo e iniciou outro lance rápido, com o lateral português Wilson Manafá ultrapassando bem a marcação do lateral brasileiro Alex Sandro e cruzando para o atacante francês Moussa Marega, naturalizado malinês, finalizar de canhota, logo no primeiro minuto. O gol da Juventus foi de chapa do meia Federico Chiesa, aos 37, após bom cruzamento do volante francês Adrien Rabiot.

REENCONTRO – Porto 2 x 1 Juventus marcou o reencontro do zagueiro brasileiro Pepe, de 37 anos, alagoano de Maceió, com Cristiano Ronaldo, de 36 anos, que atuaram juntos quase dez anos no Real Madrid e foram campeões mundiais de clubes, da Liga dos Campeões e do Campeonato Espanhol. Pepe é naturalizado português e ganhou com a seleção, junto com Cristiano Ronaldo, a Copa da Europa e a Liga das Nações, além de terem disputado a Copa do Mundo de 2018. Reencontro bem alegre.

FC PORTO – Marchesin, Manafá, Mbemba, Pepe e Sanusi; Corona, Sergio Oliveira, Uribe e Otávio (Luiz Diaz); Marega (Grujic) e Taremi. Técnico – Sergio Conceição. O Porto voltou a vencer depois de dois empates na Taça de Portugal e outros dois no Campeonato Português, em que se encontra vice-líder com 41 pontos, menos 10 que o Sporting, líder e único invicto. O próximo jogo do Porto, segunda (22), será na Ilha da Madeira com o Marítimo, décimo quinto com 17, só um ponto à frente do Gil Vicente, primeiro do rebaixamento.

JUVENTUS – Szczesny, Danilo, De Ligt, Chiellini (Demiral) e Alex Sandro; McKennie (Alvaro Morata), Rabiot, Betancur e Chiesa; Kulusevski e Cristiano Ronaldo. Técnico – Andrea Pirlo. A Juventus jogou de camisa laranja, completou três jogos sem vencer e está em quarto no Campeonato Italiano, com 42 pontos, a oito da líder Inter de Milão (50) e só um ponto a mais que o vice-lider Milan. A Juventus jogará segunda (22), em seu Allianz Stadium, em Turim, com o Crotone, último colocado com 12 pontos.

28 FALTAS – Porto e Juventus cometeram o mesmo número de faltas (14), mas os quatro amarelos, bem aplicados pelo árbitro espanhol Carlos del Cerro Grande, madrilenho de 44 anos, foram para os da Juventus: os laterais brasileiros Danilo e Alex Sandro, e os zagueiros De Ligt, holandês, e Demiral, turco, que substituiu Giorgio Chiellini, que saiu contundido. Cada time deu cinco chutes na direção do gol e conseguiu seis escanteios. A Juventus acertou mais 295 passes que o Porto (506 a 211).

VIRADA ALEMÃ NA ESPANHA

Com uma assistência e dois gols, o atacante Haaland, de 20 anos, foi o destaque da virada (3 x 2) do Borussia Dortmund sobre o Sevilha, na noite de ontem (17), no estádio Ramon Sanchez Pizjuan, no belíssimo Sul da Espanha. De fora da área, o ponta Suso, espanhol de 27 anos, fez o gol do Sevilha aos 7. O meia sírio Dahoud, naturalizado alemão, empatou aos 19, com assistência de Haaland, que fez 2 x 1 aos 27 e 3 x 1 aos 43. No segundo tempo, o holandês Luuk de Jong marcou o segundo do Sevilha aos 39.

ARTILHEIRO – Com os dois gols, Erling Haaland é o artilheiro da atual edição com 8, mas já marcou 18 gols em 13 jogos desde que estreou na Liga dos Campeões. O Borussia Dortmund pagou por ele 22 milhões de euros (R$100 milhões) ao Salzburg, da Áustria, em dezembro de 2019, e hoje não o negocia por menos de 100 milhões de euros. O pai dele, Alf-Inge Haaland, lateral e volante, fez 34 jogos pela seleção e disputou a Copa do Mundo de 94 (1 x 0 no México, 0 x 1 com a Itália e 0 x 0 com a Irlanda), sem ter jogado em time da primeira divisão da Noruega.

TÉCNICOS – O Sevilha é dirigido pelo espanhol Julen Lopetegui, de 54 anos, campeão da Liga Europa 2019-20, e campeão europeu sub-19 e sub-21 com a seleção. Chegou a treinar a seleção principal, mas foi demitido antes da Copa do Mundo de 2018. O Borussia Dortmund é treinado pelo ex-atacante alemão Edin Terzic, de 38 anos, que enquanto jogava fez o curso de Ciências do Esporte, na Universidade Ruhr-Bochum, pagando com seus próprios recursos.

SEGUNDA VEZ – O Borussia Dortmund terá a vantagem do empate no jogo de volta, dia 9 de março, em seu Signal Iduna Park, para disputar as quartas de final pela segunda vez, como em 2016-17, quando foi eliminado pelo Mônaco, após eliminar o Benfica nas oitavas. O Sevilha tem igual objetivo, mas precisa vencer por dois gols. O árbitro holandês Danny Makkelie marcou 21 faltas (9 do Sevilha), em jogo com a presença de Aleksander Ceferino, advogado esloveno de 53 anos, presidente da União Europeia de Futebol.

Foto: Octavio Passos/UEFA via Getty Images