Escolha uma Página

A FRANÇA ESTÁ MAIS PERTO de ganhar a Copa pela segunda vez consecutiva, igualando-se à Itália de 1934-1938 e ao Brasil de 1958-1962, com a vitória sobre a Inglaterra por 2 x 1, no primeiro confronto da história entre as seleções, na noite deste sábado (10), diante de 68.895 torcedores, no estádio Al Bayt, no Catar.

COM UMA SELEÇÃO FORTE, corajosa, madura e qualificada, a atual campeã do mundo realizou com a igualmente bem preparada seleção inglesa, o jogo de nível técnico mais elevado da primeira Copa no Oriente Médio e última com 32 seleções. A França faz a semifinal de 4ª feira (14) com Marrocos, que eliminou Portugal.

OS FRANCESES SAÍRAM para o intervalo com 1 x 0, gol de pé direito, de fora de área, do meia Tchouaméni, que acertou o canto direito do goleiro Jordan Pickford. Natural de Rouen, criado em Bordeaux, Aurélien Tchouaméni, de 22 anos, é do Real Madrid, desde junho de 2022, por 80 milhões de euros (R$415 milhões).

OS INGLESES INICIARAM o 2º tempo pressionando e conseguiram o empate logo aos 9 minutos. O artilheiro Harry Kane converteu o pênalti de Tchouaméni em Saka, com chute forte e deslocando o goleiro Hugo Lloris. Kane igualou-se a Wayne Rooney, maior artilheiro da seleção, com 53 gols em 120 jogos, entre 2003 e 2018.

CINCO MINUTOS após Olivier Giroud marcar de cabeça o que seria o gol da vitória francesa, aos 33, Harry Kane voltou a ter a chance de outro empate, mas errou feio a cobrança do segundo pênalti, de Theo Hernandez em Mount, chutando sobre o travessão. A França teve até a chance do 3º gol, mas Dembélé não aproveitou.

O ÁRBITRO BRASILEIRO Wilton Pereira Sampaio, que apitará a final do domingo (18), foi orientado pelo VAR a rever o lance do segundo pênalti, que não marcou logo após a falta de Theo Hernandez em Mount. No primeiro pênalti, ele apntou direto para a marca da cal. Foi a 4ª excelente atuação do árbitro goiano.

OS PÊNALTIS OPUSERAM companheiros de equipe no londrino Tottenham, que Harry Kane defende desde 2009, e Hugo Lloris, de 2012. Kane, de 29 anos, foi artilheiro da Copa de 2018, que Lloris ganhou como quarto goleiro capitão da história das Copas, depois dos italianos Combi e Zoff, e do espanhol Casillas. 

ENQUANTO A FRANÇA tenta ganhar a terceira Copa, segunda consecutiva, a Inglaterra continua com a única que ganhou em 1966. O técnico Gareth Southgate elogiou não apenas o empenho da equipe, mas também a atuação do goleiro francês, e lamentou a pouca sorte de seu artilheiro na segunda cobrança de pênalti.

DIDIER DESCHAMPS, técnico francês, igualou-se, ao ganhar a Copa de 2018, a Zagallo e a Beckenbauer como campeão do mundo como jogador e técnico, e em 2022 poderá se igualar ao italiano Vittorio Pozo, até hoje o único técnico a ganhar duas Copas consecutivas, em 1934 e 1938.

O TÉCNICO FRANCÊS elogiou a qualidade do jogo e agradeceu aos deuses do futebol pela proteção no segundo pênalti, que o artilheiro inglês não aproveitou: “É jogo e no jogo a sorte pode mudar de lado a qualquer momento” – resumiu Deschamps, que há um mês completou 54 anos.

Fotos: EBC, ND Mais, Um Dois Esportes, Sputnik e Divulgação