Mesmo que tenha sido sobre o antepenúltimo, o Flamengo voltou a vencer e renovou a esperança de continuar tentando o segundo título consecutivo de campeão brasileiro, com os 3 x 0 da noite de ontem (18) sobre o Goiás, no estádio da Serrinha, em Goiânia, onde se apresentou melhor, após duas derrotas, um empate e só um gol marcado. O Flamengo não fazia três gols ou mais, desde os 4 x 3 no Bahia, com duas viradas no Maracanã, e foi o sexto dos 29 jogos em que não sofreu gol.

VANTAGEM – Além da volta ao quarto lugar, o Flamengo ficou a cinco pontos do líder, que só enfrentará na última rodada, sendo hoje impossível prever como estará a classificação. O São Paulo x Internacional de amanhã (20) e o Flamengo x Palmeiras de quinta (21) poderão até apontar vantagem, mas ainda não serão decisivos. Nos jogos adiados, o Flamengo terá que ir à casa do Grêmio, que joga em casa, amanhã (20), com o Atlético. Posição mais confortável é a do Palmeiras, em casa, com o Vasco.

POSITIVO – O Flamengo soube impor a superioridade nos 3 x 0 no Goiás, mas, a meu juízo, o ponto positivo foi o equilíbrio nos lances dos gols bem anulados de Gabriel, por impedimento, aos 19 e aos 23, porque o time manteve a calma. O décimo gol de Arrascaeta na temporada, com boa assistência de Diego, aos 42 minutos, deu mais tranquilidade, e o time voltou do intervalo ainda mais seguro. Gabriel fez 2 x 0 aos 18 e Pedro, aos 49, tornou-se artilheiro do time em 2020-21, com 22 gols.

48 ANOS – Vitória pode representar tanto alegria quanto alívio, como deve ter sido para Rogerio Ceni, pressionado após três resultados ruins. Com os 3 x 0 no Goiás, sua quinta vitória, o retrospecto saiu do vermelho em 13 jogos: 5 vitórias, 4 derrotas, 4 empates, e quem sabe?, no jogo com o Palmeiras, algo que o time ainda não deu ao técnico: a alegria do segundo jogo consecutivo sem sofrer gol. Seria o complemento do presente antecipado dos 48 anos que Ceni completa no dia seguinte (22).

HUGO, Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luis (Renê); Arão, Diego, Everton Ribeiro (Vitinho) e Arrascaeta (Gomes); Gabriel (Michael) e Bruno Henrique (Pedro) – o time que recolocou o Flamengo em quarto lugar com 52 pontos em 29 jogos – 15 vitórias, 7 derrotas, 7 empates, saldo de 11 gols (50 a 39) -, e que o técnico deve manter para o jogo com o Palmeiras. Flamengo e São Paulo têm o segundo ataque, com 50 gols, só menos 1 gol que o do Atlético Mineiro, mas a defesa é mais vazada (39).

ANTECIPANDO – Depois de amanhã (21), em Brasília, será o jogo 117 da história, desde o domingo, 24 de março de 1929, em amistoso no campo da Rua Paysandu, Flamengo 1 x 0. Desde então, em 116 jogos, 46 vitórias do Palmeiras, 39 do Flamengo e 31 empates. No Campeonato Brasileiro, jogo 59, com 21 vitórias do Palmeiras, 18 do Flamengo e 19 empates. Com o mando de campo, maior vitória do Flamengo (6 x 2), no Brasileiro de 1980. Maior vitória do Palmeiras (4 x 1), no Brasileiro de 1979.

ARBITRAGEM – Flamengo x Palmeiras, quinta (21), às 19 horas, no estádio Mané Garrincha, terá arbitragem de Savio Pereira Sampaio, de 35 anos, da Federação Brasiliense. Ele é irmão mais novo de Wilton Pereira Sampaio, de 39 anos, da Federação Goiana, cotado para a Copa do Mundo de 2022. Amanhã (20), Grêmio x Atlético, na Arena Grêmio, será apitado por Raphael Claus, da Federação Paulista e da FIFA, e Marcelo de Lima Henrique, da Federação do Rio, apitará São Paulo x Internacional.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo