Escolha uma Página

A frase do título desta matéria é de Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde até meados de abril, um mês antes da pandemia do coronavírus. Ele prevê o pior, se o futebol voltar a ser disputado agora: “Quando pensam em acelerar o retorno imediato do futebol, não imaginam o risco de acelerar a transmissão da doença, que pode se tornar incontrolável.

DESORDENADA – Mandetta abordou com muita clareza a pretensão dos que insistem na volta imediata dos jogos: “Essa tentativa de acelerar a volta do futebol, é bom que fique bem claro, pode levar a um quadro de transmissão desordenada, e o espaço urbano, ao que estão chamando de lockdown (confinamento, em inglês). Eu prefiro bloqueio total.

BEM DIFERENTE – O ex-ministro da Saúde falou sobre a volta do campeonato alemão no fim da próxima semana: “Impossível querer comparar a situação dos países: o Brasil tem problema de tudo – leitos, profissionais de equipes de proteção individual, respiradores – e a Alemanha está em outro patamar, muito mais bem equipada e com mais recursos

CORRESPONSÁVEL – Mandetta disse que o futebol brasileiro, se voltar a ser jogado agora, em pouco tempo vai ter que parar de novo, e a volta do isolamento terá que ser ainda mais rígida: “O futebol pode se tornar corresponsável pelo agravamento de uma situação que já é muito crítica para a nossa sociedade. Apressar a volta do futebol fará mal, muito mal, ao próprio futebol” – salientou o ex-ministro da Saúde, torcedor do Botafogo.

POR ÚLTIMO, na entrevista a que assisti na noite de ontem (7), nos canais CNN, sempre com jornalismo de alto nível e qualidade, o ex-ministro Mandetta ressaltou:”Esse vírus deixa claro que gosta de ser desafiado, não negocia com ninguém nem escolhe a vítima. Já derrubou sistemas de saúde da Itália, Espanha, França, Inglaterra e Estados Unidos. Não é uma doença leve nem passageira. É bom termos cautela e seguirmos recomendações.

Foto: Reprodução / Pleno.news