Escolha uma Página

A decisão do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) de incluir Zagallo em seu Hall da Fama, é digna de todos os elogios e aplausos, pelo que representa na história do Brasil e do mundo. Titular em todos os jogos como ponta-esquerda das Copas de 58 e 62, foi o primeiro a ganhar todos os jogos como técnico em 1970. Recordista de jogos (135) no comando da seleção, estreou em 19/9/67 e saiu em 12/7/98, depois de cinco finais em sete Copas.

BRONZE – Mario Jorge Lobo Zagallo, que dia 9 de agosto vai completar 89 anos, entra com todos os méritos no Hall da Fama do Comitê Olímpico Brasileiro, por ter sido medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de 1996, em Atlanta, nos Estados Unidos, ao vencer (5 x 0) Portugal na decisão do terceiro lugar em 2/8/96. Uma conquista histórica, na celebração dos 100 anos dos Jogos Olímpicos e o presidente Bill Clinton fez questão de cumprimentá-lo.

ZAGALLO é a primeira personalidade do futebol mundial a fazer parte do Hall da Fama do Comitê Olímpico Brasileiro, criado em 2018, com o nome aprovado, por unanimidade, por sete membros da diretoria; dois membros da Comissão de Atletas; quatro membros do Conselho de Administração, e pelo representante do Comitê Olímpico Internacional, jornalista Andrew Parsons. 

NELSON PESSOA – Além de Zagallo, a terceira turma do Hall da Fama do COB terá também outro homenageado de respeito: Nelson Pessoa, maior nome do hipismo brasileiro, nascido em 16 de dezembro de 1935 no Rio de Janeiro. Vencedor de 150 GPs na Europa e de mais de 100 provas; quatro vezes campeão brasileiro; campeão europeu e recordista do Derby de Hamburgo, com sete participações, ganhou também duas medalhas de ouro e uma de prata nos Jogos Pan-americanos.

BERNARDINHO – O carioca Bernardo Rocha de Rezende – Bernardinho -, de 25 de agosto de 1959, em 22 anos de carreira e mais de 30 títulos dirigindo as seleções masculina e feminina, já faz parte do Hall da Fama do COB e estará na solenidade em que Zagallo e Nelson Pessoa serão homenageados. Ganhador de seis medalhas olímpicas consecutivas – duas de ouro, duas de prata e duas de bronze -, Bernardinho conquistou três Mundiais, duas Copas do Mundo, oito Ligas Mundiais e três Copas dos Campeões. Nome marcante do vôlei, eleito quatro anos consecutivos pelo Comitê Olímpico Brasileiro como melhor técnico.

JOSÉ ROBERTO GUIMARÃES – Paulista de Quintana, a 410 km da capital, José Roberto Guimarães vai completar 56 anos dia 31 de julho. Único técnico da história do vôlei mundial, campeão olímpico com as seleções masculina – Barcelona 92 – e feminina – Pequim 2008, Londres 2012 -, Zé Roberto – como é tratado -, é outra marca da história do vitorioso vôlei brasileiro, respeitado mundo afora.

Foto: Jornaleiros Esportivos