Escolha uma Página

A SELEÇÃO BRASILEIRA foi elogiada pela crítica europeia. O colunista Miguel Angel Lara, do Marca, prestigioso jornal esportivo espanhol, escreveu: “Há equipes que só precisam da presença no estádio para tornar o jogo especial e uma delas é a do Brasil. Essa camisa com cinco estrelas é uma joia”.

NA ANÁLISE de Miguel Angel Lara, “Espanha e Brasil fizeram um jogo enorme, muito acima do esperado, com intensidade pura. E a prova: a Espanha tem o melhor meio-campo do mundo e seu nome é Rodrigo Hernandez, o cérebro da seleção, que hoje (26) completou um ano sem perder um jogo”.

RODRIGO foi capitão pela primeira vez, por deferência de Morata, que lhe passou a braçadeira, com autorização do técnico Luis De La Fuente, para suavizar a dor do volante madrilenho de 27 anos, que perdeu o avô na semana passada. Rodrigo é do City desde 2019, comprado do Atlético de Madrid por 70 milhões de euros.

RODRIGO JÁ GANHOU 10 títulos no mais bem-sucedido time inglês dos últimos tempos e teve contribuição decisiva para o mais importante, o do 1º título mundial de clubes que o City ganhou, com o gol da vitória (1 x 0) que marcou na decisão de 11 de junho de 2023 com a Inter de Milão, quando ganhou a Bola de Ouro.

CAMPEÃO EUROPEU Sub-19 em 2015 com o Atlético de Madrid, Rodrigo também elogia muito o técnico argentino Diego Simeone, que comanda o time desde 2011. Na final do Mundial de clubes, outro título inédito que ganhou com o Manchester City, Rodrigo também recebeu o prêmio de melhor de City 4 x 0 Fluminense.

Fotos: CBF