Escolha uma Página

No jogo de amanhã (7) com o Sport, e nos jogos de sábado (10) com o Vasco e terça (13) com o Goiás, todos no Rio, o Flamengo aparece como favorito, mesmo perdendo muito da criatividade com a ausência de Everton Ribeiro, desfalque a ser mais sentido que os de Rodrigo Caio, com ele na seleção brasileira, e Arrascaeta, na seleção uruguaia. Escrevi, mais de uma vez, que Everton Ribeiro é o jogador mais lúcido do Flamengo, e seus desempenhos têm confirmado o que penso sobre sua qualidade.

VIRTUDES – Nivelado aos melhores canhotos que vi, e não foram poucos, Everton Ribeiro tem algumas virtudes que o tornam diferenciado, uma delas a de antever, já sabendo como vai dar sequência à jogada, antes que a bola lhe chegue aos pés. São muitos os que veem; poucos, bem poucos, os que anteveem. Everton Ribeiro está fora da regra; é exceção, das mais raras e melhoras. Um jogador de muita qualidade , ao melhor estilo daqueles que fazem a diferença.

BOM LEMBRAR – Everton Ribeiro está apenas dando sequência no Flamengo às atuações brilhantes que lhe garantiram, com méritos, o prêmio de melhor jogador dos Campeonatos Brasileiros de 2013 e 2014, quando o Cruzeiro foi bicampeão, e campeão mineiro. Na Arábia Saudita, campeão logo em seu primeiro ano no Al-Ahli, em 2015, Everton Ribeiro deixou o nome tão marcado quanto os dos técnicos que ganharam os outros dois títulos do clube: Didi em 78 e Telê Santana em 84.

QUE PRECINHO! – No galopante mercado de transferências, em que boa parte dos clubes do mundo perdeu a noção do valor de compras e vendas, o Flamengo nem precisou abrir tanto o cofre, em 2017, quando só pagou ao Al-Ahli 6 milhões de euros, então R$22 milhões, precinho de nada por um jogador com tanta qualidade. Everton Ribeiro já superou no Flamengo, com 29 gols em 192 jogos, os 24 gols em 117 jogos no Cruzeiro, e os 26 gols em 106 jogos pelo Al-Ahli, entre 2015 e 2017.

NA SELEÇÃO – Cinco anos depois, Everton Ribeiro é convocado para jogos oficiais da seleção, sexta (7), com a Bolívia, e terça (11) com o Peru, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo 2022, esperando-se que o técnico Tite use bem suas virtudes. Em 2015, na Copa América do Chile, com o técnico Dunga, Everton Ribeiro substituiu Willian nos 5 minutos finais dos 2 x 1 no Peru, e só voltou no último jogo, em que a seleção foi eliminada nos pênaltis (4 x 3) pelo Paraguai, que venceu (1 x 0) no tempo normal.

Foto: Torcida Flamengo