Escolha uma Página

Mais uma história para confirmar que há coisas que só acontecem ao Botafogo. Antes de promover a estreia de Ramon Diaz, o Botafogo demitiu o técnico argentino de 61 anos, que vai precisar de mais tempo para se recuperar de cirurgia, e acertou a volta de Eduardo Barroca, carioca de 38 anos, que retorna 14 meses após comandar o time em 27 jogos, em 2019. Barroca inicia o trabalho amanhã (28), uma semana antes do clássico do primeiro sábado (5) de dezembro com o Flamengo.

PENÚLTIMO COM 20 PONTOS – 3 vitórias, 11 empates, 8 derrotas, saldo negativo de 7 gols (22 a 29) -, o Botafogo está quatro pontos acima do lanterna Goiás, também com 3 vitórias, 7 empates, 11 derrotas, saldo negativo de 12 gols (23 a 35), a 4 pontos do Vasco (24), primeiro do rebaixamento, com 6 vitórias, saldo negativo de 4 gols (23 a 27); igual ao Coritiba, antepenúltimo com 20 pontos, 5 vitórias, saldo negativo de 12 gols (20 a 32), e 5 pontos atrás do Sport, primeiro fora do rebaixamento com 25 pontos, 7 vitórias, saldo negativo de 10 gols (19 a 29).

A SITUAÇÃO DO BOTAFOGO é mais complicada porque o time só venceu 3 jogos, primeiro quesito de desempate quando há igualdade em pontos, seguindo-se o saldo de gols. Os poucos e tímidos investimentos feitos pelo clube – Honda, Kalou, Eber Bessa, entre outros – ainda não surtiram o efeito esperado e os resultados, seja como mandante ou visitante, não têm sido suficientes para mostrar evolução capaz de tirar o time da situação cada vez mais decadente em que se encontra.

QUANDO RAMON DIAZ foi liberado para a cirurgia, o clube entregou o time a Emiliano Diaz, filho e ex-jogador dele na Itália. O time continuou jogando mal e sofreu três derrotas consecutivas, todas por 2 x 1: em casa, para o Bragantino e o Fortaleza, e no Mineirão, para o Atlético. Como os médicos informaram hoje (27) que Ramon Diaz ainda precisará de tempo para ser liberado e voltar à atividade, o Botafogo decidiu demitir o assistente técnico Emiliano Diaz e todos os demais auxiliares.

EDUARDO BARROCA inicia o trabalho, amanhã (28), com uma semana para preparar o time que fará o clássico da rodada 24, com o Flamengo, sábado (5), às 17 horas, no estádio Nilton Santos (no turno, 1 x 1, no Maracanã). Com a saída de Zé Ricardo, Barroca dirigiu o Botafogo de abril a setembro de 2019: 27 jogos, 10 vitórias, 3 empates, 14 derrotas. Em outubro, ficou só 9 jogos no Atlético Goianiense: 3 vitórias, 5 empates, 1 derrota, saindo em dezembro para o Coritiba, até agosto de 2020.

SUBSTITUÍDO por Jorginho, o lateral do tetra, Barroca saiu do Coritiba depois de 22 jogos: 11 vitórias, 3 empates, 8 derrotas, e depois de algum tempo sem clube, acertou com o Vitória, que está disputando a Série B do Campeonato Brasileiro, e de 7 de outubro até se demitir hoje (27), comando o rubro-negro baiano em 9 jogos: 1 vitória, 5 empates, 3 derrotas. Barroca assumirá amanhã (28) no Botafogo e terá como assistente Felipe Lucena e Anderson Nunes como preparador físico.

BOM DIZER – Eduardo Barroca, que não foi jogador profissional, iniciou como técnico no sub-13 do Flamengo em 2000 e saiu em 2003 para ser assistente técnico do Madureira. Em 2011 foi técnico do sub-17 do Corinthians, e depois foi assistente de Rogério Lourenço, ex-zagueiro do Flamengo, no Bahia, assumindo como interino quando Rogério saiu.

Foto: Yahoo Esportes