Escolha uma Página

NO ÚLTIMO AMISTOSO de preparação para a Copa América, em que estreará dia 24 com a Costa Rica, a seleção brasileira empatou (1 x 1) com a seleção dos Estados Unidos, na noite desta 4ª feira (12), diante do público recorde de 60.016 do Camping World Stadium, em Orlando, cidade do estado da Flórida.

RODRYGO abriu o placar aos 17 minutos, completando de pé esquerdo o lançamento de Bruno Guimarães, que aproveitou a reposição errada do goleiro Turner. Christian Pulisic, capitão da seleção dos Estados Unidos, empatou aos 26, cobrando no canto direito a falta que sofreu de João Gomes na meia-lua.

AS DUAS PRIMEIRAS chances de gol foram do volante Musah, que acertou o travessão em chute de fora da área, e de Christian Pulisic, que obrigou Alisson à defesa mais difícil no canto direito. O goleiro Matt Turner, de 29 anos, 1,91m, defendeu a melhor chance do Brasil, aos 7, em chute de Rodrygo de fora da área.

A SELEÇÃO BRASILEIRA voltou do intervalo com o volante Douglas Luiz no lugar de João Ramos, único do jogo advertido com cartão amarelo, pela falta em Christian Pulisic no lance do gol, e no decorrer do 2º tempo, fez três mudanças simultâneas, entrando Andreas Pereira, Endrick e Savinho, saindo Bruno Guimarães, Paquetá e Raphinha, aos 20.

A CHANCE MAIS CLARA do desempate foi a de Christian Pulisic, aos 23, frente a frente com o goleiro Alisson, que defendeu com a mão esquerda, evitando a primeira derrota da seleção brasileira desde que Dorival Junior assumiu. O técnico fez a última substituição aos 37, entrando Martinelli no lugar de Rodrygo.

AOS SEIS MINUTOS do 2º tempo, um lance raro: Hector Said Martinez, árbitro hondurenho de 32 anos, na Fifa desde 2017, marcou falta em Rodrygo, na entrada da área. Chamado pelo mexicano Óscar Romo, árbitro de vídeo, ele reviu o lance na tela do VAR, anulou a falta e retirou o cartão amarelo dado ao zagueiro Chris Richards, que joga no londrino Crystal Palace, emprestado pelo Bayern Munique.

A SELEÇÃO DO 1º EMPATE com os Estados Unidos: Alisson, Danilo (c), Marquinhos, Beraldo e Wendell; João Gomes (Douglas Luiz), Bruno Guimarães (Andreas Pereira) e Paquetá (Endrick); Raphinha (Savinho), Rodrygo (Martinelli) e Vinicius Junior. Segundo empate do técnico Dorival Junior, depois de 3 x 3 com a Espanha, e das vitórias sobre a Inglaterra (1 x 0) e o México (3 x 2).

DOS 21 JOGOS com os Estados Unidos, o Brasil ganhou 19, empatou o primeiro, e sofreu a única derrota (1 x 0), na Copa Ouro, no Coliseu de Los Angeles, em 10 de fevereiro de 1988. A seleção: Taffarel, Zé Maria, Junior Baiano, Gonçalves e Júnior; Mauro Silva (Doriva), Flavio Conceição (Marcos Assunção), Zinho e Sergio Manoel; Edmundo e Romário. Técnico – Zagallo.

  • NO 1 x 1 COM O BRASIL, o destaque dos Estados Unidos foi o capitão Christian Pulisic, de 25 anos, autor do gol de empate em cobrança de falta. Ele foi comprado pelo Milan, em julho de 2023, por 20 milhões de euros (R$106 milhões), depois de ganhar a Champions com o londrino Chelsea e a Copa da Alemanha com o Borussia Dortmund.
  • A ARGENTINA, atual campeã da Copa América, faz o último amistoso com a Guatemala, 6ª feira (14), no estádio FedEx Field, em Landover, no estado de Maryland, antes da estreia, dia 20 com o Canadá, que ficou no 0 x 0 com a França, domingo (9), em Bourdeaux. Peru e Chile completam o Grupo A da Argentina.
  • A COLÔMBIA, terceiro adversário do Brasil na fase de grupos, fará o último amistoso de preparação com a Bolívia, sábado (15), em Hartford. Os colombianos golearam os Estados Unidos (5 x 1), com atuação destacada de John Arias, do Fluminense.
  • O CHILE venceu o Paraguai por 3 x 0, com dois gols de Victor Dávila, do CSKA Moscou, no 1º tempo, e de Eduardo Vargas, do Atlético Mineiro, no amistoso da noite de ontem (11), no Estádio Nacional de Santiago.
  • ARGENTINA e Canadá farão o jogo isolado de abertura da Copa América, 5ª feira (21).

Fotos: Rafael Ribeiro / CBF