Escolha uma Página

A seleção brasileira sub-23 se classificou para o quadrangular final do pré-Olímpico, ao vencer (5 x 3) a Bolívia, na noite de ontem (28), no estádio Centenário, de Armênia, cidade da Colômbia, a 175 km da capital Bogotá. O jogo de oito gols foi quase todo dominado pelo Brasil, que já saiu para o intervalo com 3 x 1, mas a defesa falhou nos três gols. O técnico André Jardine reconheceu a insegurança e tentará melhorar a marcação nos próximos treinos.

FULMINANTE – A seleção brasileira teve início fulminante, pressionando desde a saída, e Antony – atacante que o São Paulo está negociando com o Ajax, da Holanda – marcou seu primeiro gol no pré-Olímpico logo aos 2 minutos. O segundo gol foi de Mateus Cunha, em flagrante impedimento, aos 16, com passe de calcanhar de Reinier, recém vendido pelo Flamengo ao Real Madrid, que fez o primeiro jogo como titular. 

MAIS DOIS – O meia Victor Ábrego aproveitou a falha de marcação da defesa para fazer o primeiro gol da Bolívia aos 20, mas aos 39 o lateral Guga marcou o terceiro gol brasileiro. Na volta do intervalo, Reinier fez 4 x 1 aos 16, após boa jogada de Paulinho (ex-Vasco), que teve gol anulado por impedimento aos 24. Ábrego fez o segundo da Bolívia aos 26 e o zagueiro Reyes, de cabeça, marcou o terceiro aos 34. O quinto do Brasil foi de Pepê, aos 50.

BRASIL – Ivan, Guga, Nino, Robson Bambu e Caio Henrique; Bruno Guimarães (cap), Mateus Henrique e Reinier (Bruno Fuchs, 38 do segundo tempo); Antony, Paulinho (Pepê, 31 do segundo tempo) e Mateus Cunha (Igor Gomes, 30 do segundo tempo). A seleção jogará sexta (31) com o Paraguai. O técnico André Jardine justifica o rodízio de capitães a cada jogo: “Pode não valorizar a braçadeira, mas gosto de ter mais de um líder na equipe”.

REINIER, recém vendido pelo Flamengo ao Real Madrid,teve a primeira chance como titular, em virtude do problema muscular na coxa de Pedrinho, meia do Corinthians, e correspondeu com boa atuação e o gol. Ivan, Guga e Mateus Cunha foram os advertidos com cartão amarelo pelo árbitro argentino Facundo Tello, que expulsou o meia boliviano Ramiro Vaca aos 43 do segundo tempo, após falta grosseira em Antony.

Foto: Site Jovem Pan