Escolha uma Página

Quarenta e um gols nos dezesseis jogos da rodada de abertura da fase de grupos da Libertadores 2021, concluída na noite de ontem (22), com a média de 2.56 gols por jogo, sem nenhum 0 x 0 e com os seis empates em 1 x 1. Entre os seis visitantes que venceram, Flamengo, São Paulo e Palmeiras, líderes de seus grupos, foram os que mais fizeram gol (3), e o São Paulo foi o único que não sofreu gol. Dos sete brasileiros, só Santos, único que perdeu em casa, e Internacional, que perdeu fora, não marcaram. 

FLAMENGO – Líder do Grupo G, reagiu bem na estreia para ganhar de virada (3 x 2) do Velez Sarsfield, na Argentina, onde não vencia desde 2001. O meia uruguaio Arrascaeta, autor do gol da vitória, voltou a se destacar, como na final da Supercopa do Brasil em que mereceu o prêmio de melhor do jogo com o Palmeiras. O favoritismo do Flamengo é acentuado no jogo da segunda rodada, terça (27), no Maracanã, com o La Calera, do Chile. Árbitro, Eber Aquino, do Paraguai.

PALMEIRAS – Líder do Grupo A, levou susto na estreia e só conseguiu vencer (3 x 2) o Universitário, do Peru, nos acréscimos do jogo em Lima. O técnico português Abel Ferreira tem se mostrado intranquilo com a queda de rendimento de alguns titulares e não descarta o aproveitamento de novatos, como o zagueiro Renan Victor, que fez o gol da vitória. Atual campeão, o Palmeiras jogará terça (27), em seu Allianz Parque, com o Del Valle, do Equador. Árbitro, Roberto Tobar, do Chile.

SANTOS – Último do Grupo C, decepcionou na estreia, ao perder (2 x 0) para o Barcelona, do Equador. O técnico argentino Ariel Holan fez mudanças que não deram certo, e agora repensa a escalação para o próximo jogo da próxima terça (27) com o Boca, no estádio da Bombonera. O venezuelano Jesus Valenzuela será o árbitro.

INTERNACIONAL – Último do Grupo B, depois da estreia desastrosa, em que perdeu por 2 x 0 para o inexpressivo Always Ready, na Bolívia, o técnico espanhol Miguel Angel Ramirez analisa as prováveis mudanças para tentar melhorar o rendimento da equipe colorada. Na segunda rodada o Internacional jogará com o Deportivo Tachira, da Venezuela, na Arena Beira Rio, em Porto Alegre. Árbitro, Andrés Matonte, do Uruguai.

ATLÉTICO – Segundo do Grupo H, livrou-se da derrota no 1 x 1 da estreia com o Deportivo La Guaira, em Caracas, graças à atuação do goleiro Everson. O técnico Cuca vai cumprir o último jogo de suspensão e o time será orientado por seu irmão e assistente, que atende pelo apelido de Cuquinha. O Atlético jogará com o América de Cali, no Mineirão, quarta (28), com arbitragem do uruguaio Daniel Fedorczuk.

FLUMINENSE – Animado pelo 1 x 1 da noite de ontem (22) com o River Plate, no Maracanã, o Fluminense fará o segundo jogo com o Independiente Santa Fé, quarta (28), na Colômbia. O técnico Roger Machado deve manter o meia equatoriano Juan Cazares, destaque da estreia, mesmo só tendo entrado no segundo tempo, e tentar encontrar espaço para Nenê, que não foi bem. Árbitro, Andrés Cunha, do Uruguai.

SÃO PAULO – Líder do Grupo E, foi a equipe brasileira com melhor rendimento na estreia, impondo-se do início ao fim na vitória (3 x 0) sobre o Sporting Cristal, no Peru. O técnico argentino Hernan Crespo está em sintonia perfeita com os jogadores, que destacam seus métodos e a fala simples de suas orientações. O São Paulo entra como favorito absoluto do jogo da próxima quinta (29), no Morumbi, com o Rentistas, do Uruguai. Árbitro, Nicolás Gamboa, do Chile.

Foto: Infoesporte