A FOTO DE ROBERTO DINAMITE, voltando para o 2º tempo da vitória do Vasco sobre a Portuguesa por 3 x 1, pela 11ª rodada do turno do Campeonato Carioca, na tarde do domingo, 15 de maio de 1977, no Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, é a mais expressiva, e com todos os méritos, ganhou o Prêmio Esso de Reportagem.

O FOTÓGRAFO RONALD THEOBALD, do Jornal do Brasil, relembra: “Eu me deitei no chão no intervalo. Quando o Vasco voltou para o 2º tempo, os torcedores queriam a todo custo tocar no Roberto. Algo mágico, parecia uma cena bíblica. Eu não queria acreditar no que estava vendo”. Nome da foto, dado pelo autor, “Deus de calção e chuteira”.

ROBERTO DINAMITE havia marcado o 1º gol aos 7 minutos e o ponta Luis Fumanchu fez o 2º aos 27. O Vasco venceu a Portuguesa por 3 x 1 e o 3º gol foi do Dirceu. O time: Mazaropi, Orlando, Abel, Geraldo e Marco Antonio; Zé Mário, Zanata e Dirceu; Fumanchu (Wilsinho), Roberto Dinamite e Ramon (João Paulo). Técnico – Fantoni. Público: 12.780 pagantes. Árbitro: Walquir Pimentel.

ROBERTO DINAMITE foi o artilheiro com 25 gols, o Vasco venceu 25 dos 30 jogos, teve saldo de 64 gols (marcou 69, sofreu 5) e só perdeu para o América na 3ª rodada (1 x 0, gol do lateral Uchoa). Roberto Dinamite participou de 28 dos 30 jogos. 

A DEFESA DO VASCO, ao sofrer só 5 gols em 30 jogos, garantiu ao goleiro Mazaropi o recorde de 1.761 minutos sem levar gol.

Foto: RONALD THEOBALD