O ATACANTE RAFAEL GAVA PROMETEU À ESPOSA QUE MARCARIA O PRIMEIRO GOL, APÓS O CASAMENTO, E CUMPRIU.Aos 49 minutos do segundo tempo, com o gol da vitória (1 x 0) sobre o Bragantino, ele fez o Cuiabá subir quatro posições e terminar a rodada em décimo lugar, ultrapassando Santos (35), Ceará (36), São Paulo (37), Atlético Goianiense (37), e se igualando com 38 pontos ao América Mineiro, nono, e que só o supera por mais uma vitória (9 a 8). 

A OITAVA VITÓRIA DO CUIABÁ, ESTREANTE NA SÉRIE A, levou os torcedores ao delírio na noite de ontem (1), na Arena Pantanal, e foi boa para o Flamengo, que cairia mais uma posição e terminaria a rodada em quarto lugar, se o Bragantino ao menos empatasse. Terceiro pior mandante, o Cuiabá conseguiu equilibrar os números em casa com a quinta vitória, cinco empates, cinco derrotas e dar um grande salto do décimo quarto para o décimo lugar.

BOM RESSALTAR TAMBÉM QUE O CUIABÁ, dirigido pelo técnico carioca Jorginho, lateral campeão do mundo em 94, conseguiu vencer o Bragantino, time de melhor campanha como visitante, com 7 vitórias, três sem sofrer gol; cinco empates, e que perdeu apenas pela terceira vez. Vale destacar que o Bragantino, do técnico paulistano Maurício Barbieri, ganhou fora de casa, e de virada, do Corinthians (2 x 1), Flamengo (3 x 2) e São Paulo (2 x 1). 

RAFAEL GAVA, DE 28 ANOS, AUTOR DO GOL, é paulista de Americana, microrregião de Campinas, a 125 km da capital, e está emprestado ao Cuiabá pelo Paços de Ferreira, que completou a décima rodada do Campeonato Português em décimo lugar, ao ficar no 0 x 0 com o Moreirense, na noite desta segunda (1). Rafael Gava prometeu à esposa que faria o primeiro gol após o casamento, e conseguiu aos 49 do segundo tempo, após jogada de Elton e Felipe Marques.

O GOLEIRO WALTER, emprestado em março pelo Corinthians, até dezembro de 2022, deixou o campo muito aplaudido e com o nome gritado em coro, pelas grandes defesas, impedindo que o Bragantino marcasse pelo menos três gols. Natural de Jaú, município da região central do estado, a 296 km da capital, o paulista Walter vai fazer 34 anos no próximo dia 18. Tricampeão paulista (2017-18-19), foi também campeão brasileiro em 2015 e 2017.

PÊNALTI PERDIDO – O Bragantino teve a melhor chance do primeiro tempo aos 39 minutos, quando o meia Helinho bateu o pênalti na trave direita, e em seguida mostrou desconhecer a regra do jogo ao finalizar para marcar o gol. Na cobrança do pênalti, quando a bola bate na trave e volta, só outro jogador pode fazer o gol porque o batedor está impedido. O árbitro goiano Jeferson Moraes, com atuação correta, mandou cobrar o tiro livre indireto.

WALTER, João Lucas, Paulão, Alan e Uendel; Yuri, Camilo (Felipe Marques) e Pepê (Uillian); Max (Rafael Gava), Jenison (Elton) e Clayson (Jonatan Cafu) – o Cuiabá, do técnico Jorginho, décimo com 38 pontos – 8 vitórias, 14 empates, 7 derrotas, saldo 0 de gol (28 a 28) -, que fará o último jogo do próximo domingo (7), em Fortaleza, com o Ceará. O atacante paulista Jenison, de 30 anos, foi homenageado com a camisa 100 do Cuiabá, ao completar o centésimo jogo.

NÚMEROS IGUAIS – Antes de a bola rolar, o Bragantino estava com números rigorosamente iguais aos do Flamengo: 49 pontos, 12 vitórias, 13 empates, 4 derrotas, saldo de 15 gols, com 47 marcados e 32 sofridos. Ao perder para o Cuiabá, a única diferença passou a ser de uma derrota a mais. O próximo jogo será domingo (7), com o Athletico Paranaense, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, a 90 km da capital, quando tentará manter o quarto lugar.

Foto: AssCom Dourado