Manga, à esquerda, com Esteban Conde, goleiro e capitão do Nacional, em foto de Alberto Avellaneda.

O ex-goleiro Manga, de 81 anos, ganhador de 25 títulos, entre eles os bicampeonatos cariocas pelo Botafogo em 61-62 e 67-68, será homenageado na noite desta quarta (20), antes do amistoso do Seattle Sounders x Nacional, no Century Link Field, com a lotação de 67 mil lugares completa, em Seattle, oitava maior cidade portuária dos Estados Unidos, no estado de Washington. A homenagem será do Nacional, clube que Manga defendeu de 69 a 74 e em que foi tetracampeão uruguaio (69-70-71-72).

Botafogo, O Glorioso

ALÉM DO TETRA, Manga foi também campeão da Copa Libertadores e do Mundial de clubes pelo Nacional, em 1971, dois anos depois de estrear em 7 de setembro de 69 e de ficar 339 minutos sem sofrer gol. Os torcedores mais antigos recordam que depois de Veludo, goleiro que o Fluminense trocou pelo artilheiro uruguaio Javier Ambrois, em meados dos anos 50, Manga foi o melhor goleiro estrangeiro da história do Nacional.

A CARREIRA – Haylton Correa Arruda – Manga -, natural do Recife, onde nasceu em 26 de abril de 1937, iniciou a vitoriosa carreira no Sport (55 a 59) e ganhou três campeonatos pernambucanos em 55-56 e 58. No Botafogo, entre 59 e 68, foi bicampeão em 61-62 e 67-68, e ganhou três vezes o Torneio Rio-São Paulo, em 62, 64 e 66, quando foi convocado para a Copa do Mundo na Inglaterra. Depois do tetracampeonato uruguaio no Nacional, de Montevidéu, Manga voltou ao futebol brasileiro.

(Foto: Divulgação/Museu do Internacional)

TRI E BI – Reconhecido e exaltado pelos colorados como o maior goleiro da história do Internacional, Manga foi tricampeão gaúcho – 74-75-76 – e foi também figura de destaque do bicampeonato brasileiro em 75-76. Além dele, o Inter contava com jogadores notáveis como o zagueiro chileno Elias Figueroa, os meias Falcão e Carpegiani, e o ponta Lula, ex-Fluminense. O Inter atropelou o Cruzeiro na final de 75 e o Corinthians na decisão de 76, com exibições de gala no Beira Rio.

MAIS TRÊS – Manga seguiu colecionando títulos. Foi campeão do Mato Grosso do Sul em 77 com o Operário, de Campo Grande; campeão paranaense em 78 com o Coritiba, e ao voltar a Porto Alegre, campeão gaúcho em 79 com o Grêmio, o que decepcionou os torcedores do Internacional, que o tinham como um dos grandes ídolos. Manga encerrou a carreira em 82, um ano depois do último título que ganhou com o Barcelona, de Guaiaquil, campeão do Equador em 1981. 

NA CHEGADA do Nacional aos Estados Unidos, Manga foi recebido com muita alegria por todos os jogadores, em especial pelo goleiro Esteban Conde, de 35 anos, 1,86m, que só ganhou um título uruguaio em 2006-2007 pelo modesto Danubio, também de Montevidéu. Quatro anos depois, Conde foi campeão invicto da Copa Sul-Americana de 2011, mas defendendo o time da Universidad de Chile. Ele marcou seis gols em cobrança de pênaltis.

MAIS VALIOSO – O Seattle Sounders FC – primeiro tricampeão da história da Liga de Futebol dos Estados Unidos, 2009-10-11 -, é o clube mais valioso do país: 175 milhões de dólares! Sem brasileiro em seu elenco, tem como principais atrações o atacante colombiano Fred Montero, seu maior artilheiro, e o meia uruguaio Nicolás Lodeiro, que fez 17 gols em 85 jogos pelo Botafogo, entre 2012 e 2014.