Escolha uma Página

Hans-Dieter Flick, técnico do Bayern Munique, chegou à impressionante marca de mais títulos (6) do que derrotas (5), ao ganhar a decisão do Mundial de clubes com 1 x 0 sobre o Tigres, primeiro time do México a disputar a final. Ex-volante, com mais de 100 jogos pelo clube, o treinador chegou a 58 vitórias, 5 empates, 5 derrotas e 210 gols marcados em 68 jogos, média de 3.08 gols por jogo, em um ano e três meses de trabalho: “Queremos ser a equipe mais vitoriosa da história do Bayern”.

O PRESENTE – O técnico campeão mundial de clubes de 2020 ganhou o presente antecipado de aniversário de 56 anos, nascido em 24 de fevereiro de 1965, em Heidelberg, cidade da universidade mais antiga da Alemanha, onde também nasceu em 1985 Nelson Piquet Junior, criado em Brasília. Hans-Dieter Flick substituiu o croata Niko Kovac, de 49 anos, desde julho técnico do francês Mônaco, e iniciou a arrancada para os seis títulos em um só ano com a conquista do Campeonato Alemão 2019-2020.

100 POR CENTO – Depois da Copa da Alemanha e da Supercopa da Alemanha, o quarto título foi o da Liga dos Campeões, em que Flick levou o Bayern a ser o primeiro campeão com 100% de aproveitamento – 11 vitórias em 11 jogos -, com a média de gols de 3.91 por jogo, a mais elevada desde a criação do novo formato em 92-93, e o artilheiro Lewandowski marcando 15 gols em 11 jogos. “Batemos nosso próprio recorde de 2014 e igualamos o de 2015 do Real Madrid” – resume Flick com orgulho.

OITAVO – A vitória do Bayern sobre o Tigres representou o oitavo título consecutivo dos europeus no Mundial de clubes desde 2013, quando o Bayern, então dirigido por Jupp Heynckes, ganhou (2 x 0) do Raja Casablanca, do Marrocos, com os gols dos brasieiros Dante e Thiago Alcântara. O último sul-americano campeão foi o Corinthians, em 2012, vencendo (1 x 0) o londrino Chelsea, com o gol do peruano Paolo Guerrero.

BRASILEIRO – O atacante gaúcho Douglas Costa, de 30 anos, é o único brasileiro do elenco atual do Bayern. Na vitória sobre o Tigres, ele entrou aos 28 do segundo tempo, no lugar do meia francês Coman. Depois de bicampeão alemão, ele foi tricampeão italiano na Juventus, que o emprestou ao Bayern. Bom dizer: o ex-atacante Giovane Elber, paranaense de Londrina, hoje aos 48 anos, é o oitavo maior artilheiro do Bayern, com 139 gols em 266 jogos, tetracampeão de 98-99 a 2002-03.

COVID-19 – O atacante Thomas Muller, um dos destaques do Bayern, não disputou a final com o Tigres por ter testado positivo para Covid-19, um dia antes do jogo. Ele volta hoje (12) com a equipe para Munique, mantendo o isolamento no voo. Líder com 48 pontos, sete a mais que o Leipzig, que joga hoje (12) com o Augsburg, o Bayern volta a jogar segunda (15), na Arena Munique, com o Armínia, primeiro dos três últimos colocados.

GUARDIOLA – O hoje técnico do Manchester City dirigia o Barcelona, em 2009, quando o time se tornou o primeiro a ganhar seis títulos em uma única temporada. Pep Guardiola felicitou o Bayern, que também comandou no tricampeonato alemão 2013-14-15 e no Mundial de clubes de 2013, sugerindo, em tom de brincadeira: “Posso falar com o Messi para acertar com o Lewandowski esse jogo de desempate”… Guardiola faz questão de dizer que tem muito carinho pelo Bayern.

NOVO FORMATO – Durante o jantar de ontem (11), no encerramento do Mundial de clubes de 2020, o suíço Gianni Infantino, presidente da FIFA, reafirmou que está em estudo o novo formato: “Queremos ampliar o Mundial com 24 equipes de diferentes continentes. Infelizmente, a pandemia atrasou nosso projeto. A FIFA continuará cumprindo e determinando que sejam cumpridas todas as regras sanitárias da Organização Mundial da Saúde”.

Foto: AS English