Escolha uma Página

O atacante Diogo Jota, de 23 anos, substituiu Cristiano Ronaldo, em quarentena, como destaque dos 3 x 0 sobre a Suécia, que manteve Portugal na liderança do Grupo 3 da Liga das Nações, na noite desta quarta (14), no estádio José Alvalade, do Sporting de Lisboa. O primeiro gol, aos 22 minutos, foi do meia Bernardo Silva, lisboeta de 26 anos, que não marcava há um ano, com assistência de Diogo Jota, que fez o segundo aos 44, após cruzamento de João Cancelo.

BEM FÁCIL – A seleção portuguesa impôs-se desde o início e poderia até ter goleado, mas o goleiro Robin Olsen, de 30 anos, 1,96m, do Liverpool, emprestado pela Roma, fez excelentes defesas. Na volta do intervalo, o domínio continuou, e Diogo Jota fez o terceiro gol, seu terceiro em sete jogos, aos 29 minutos, após lançamento do volante William Carvalho. Bom dizer: Diogo José Teixeira da Silva é o nome completo de Diogo Jota, natural de Massarelos, distrito do Porto, e foi comprado do Wolverhampton, que defendeu em 2018-2020, pelo Liverpool, pelo equivalente a 320 milhões de reais.

PORTUGAL – Rui Patrício, João Cancelo, Pepe, Ruben Dias e Raphael Guerreiro; William Carvalho (João Moutinho), Bruno Fernandes (Renato Sanches) e Diogo Jota (Rafa Silva); João Felix (Podence) e Bernardo Silva (André Silva). Técnico – Fernando Santos. A BOLA destacou em sua edição on-line: “Diogo Jota não é Ronaldo…mas parece”. O meia Bruno Fernandes resumiu: “Não foi uma exibição top, mas foi boa”. O técnico Fernando Santos lamentou a ausência de Cristiano Ronaldo e deu ênfase ao conjunto: “Com o melhor do mundo é mais fácil, mas Portugal mostrou que também tem outros grandes valores”.

PORTUGAL LIDERA o Grupo 1, com 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, saldo de 8 gols (marcou 9, sofreu 1) -, e a França, que venceu (2 x 1) a Croácia, também tem 10 pontos, com 3 vitórias e 1 empate, mas a metade do saldo de gols de Portugal, porque fez 7 e sofreu 3. O confronto Portugal x França, dia 14 de novembro, em Lisboa, decidirá o primeiro lugar. É possível que até lá a volta do público aos estádios esteja pelo menos parcialmente liberada, o que daria vantagem a Portugal porque o jogo será no estádio da Luz, do Benfica.

FRANÇA REPETE – Dois anos e três meses depois da final da Copa do Mundo de 2018, que ganhou (4 x 2), em Moscou, a França voltou a vencer (2 x 1) a Croácia, na noite desta quarta (14), no estádio Maksimir, em Zagreb, capital da Croácia, mesmo sem ter feito boa exibição e até de ter sido dominada, em boa parte do jogo. Griezmann, aos 9 minutos, fez o gol do primeiro tempo. Vlasic empatou aos 20, e em boa triangulação com Pogba e Digne, Mbappé marcou aos 33 o gol da vitória francesa.

VOLTA DO PÚBLICO – Croácia 1 x 2 França marcou a volta dos torcedores ao estádio Maksimir, mas em número bem reduzido, que não chegou a um terço da capacidade total de 37.168. O pedido de liberação para dois mil torcedores, feito pela Federação Francesa de Futebol, não foi atendido. A Croácia ainda não conseguiu vencer a França em 10 jogos, só empatando 2. Além da derrota (4 x 2) na final da Copa de 2018, a Croácia havia perdido também (2 x 1) na semifinal do primeiro título mundial da França, em 1998.

Foto: GiveMeSport