Escolha uma Página

O Vasco anunciou na tarde desta quinta (8) a demissão do técnico Ramon Menezes, que dirigiu o time em 12 jogos no Campeonato Brasileiro, ganhou os três primeiros – 2 x 0 no Sport, 2 x 1 no São Paulo e 3 x 0 no Ceará -, mas não venceu nas três últimas rodadas – 1 x 1 com o Bragantino, 1 x 4 com o Atlético Mineiro e 0 x 3 com o Bahia -, o que levou a diretoria a tirá-lo do cargo. A equipe ficou sem vencer também entre a quinta e a sétima rodada: 0 x 0 Grêmio, 1 x 2 Fluminense e 2 x 2 Santos.

MENOS UM – O Vasco desceu mais uma posição, após a derrota (3 x 0) da noite de ontem (7) para o Bahia, e terminou a décima quarta rodada em décimo, com 18 pontos em 13 jogos – 5 vitórias, 5 derrotas, 3 empates, saldo negativo de 1 gol (17 a 18) – e tem o jogo atrasado da primeira rodada, adiado porque o Palmeiras disputava as finais do Campeonato Paulista. A queda tornou-se acentuada entre a oitava e a décima primeira rodada, com as vitórias no Rio – 1 x 0 no Athletico Paranaense e 3 x 2 no Botafogo -, a virada (2 x 1) que levou do Athletico Goianiense, em São Januário, e a derrota (1 x 0) para o Coritiba.

COPA DO BRASIL – Os dirigentes também ficaram desapontados com a eliminação do time na Copa do Brasil, que era esperança de aumento do faturamento, com o Vasco não conseguindo marcar um gol em dois jogos com o Botafogo. O time perdeu (1 x 0) no estádio Nilton Santos, quando poderia reagir, em São Januário, precisando de dois gols ou de pelo menos um para levar a decisão aos pênaltis, ficou no 0 x 0.

PÂNICO – Os torcedores do Vasco vivem momentos de apreensão e pânico, tanto que se desentenderam durante a madrugada, no aeroporto internacional do Rio, ao receberem com insultos a delegação, na volta de Salvador, após a derrota (3 x 0) para o Bahia. A polícia interveio para conter os mais exaltados e alguns observadores disseram ter ouvido disparos na saída do aeroporto. O pânico dos torcedores, a dois dias do jogo com o Flamengo, é por uma nova derrota, em São Januário, para o arquirrival.

ESCOLHA – O Vasco ainda escolhe o substituto de Ramon e a tendência é que o time seja dirigido no clássico com o Flamengo pelo assistente Antonio Lopes Junior, integrante da comissão técnica permanente do clube. O pai, Antonio Lopes, um dos técnicos mais vitoriosos da história do clube – campeão carioca, brasileiro e da Libertadores – é o atual coordenador técnico, que analisa nomes, junto com o diretor executivo Mario André Mazzuco.