Escolha uma Página

Com dois gols do atacante argentino German Cano, que não marcava desde os 3 x 2 no Botafogo, pela décima rodada, dia 13 de setembro, no estádio Nilton Santos, o Vasco venceu (2 x 0) o Sport, que completou 10 jogos sem ganhar, na tarde de ontem (14), na Ilha do Retiro, no Recife, no jogo dos times menos eficientes nas finalizações. Foi a primeira vitória do técnico português Ricardo Sá Pinto, depois das derrotas para Corinthians (2 x 1) e Palmeiras (1 x 0) e do 1 x 1 com o Goiás.

18 EM 34 – German Cano chegou aos 18 gols em 34 jogos em 2020 com a camisa do Vasco e divide com Keno, do Atlético Mineiro, a quarta posição da artilharia do Campeonato Brasileiro, com 9 gols, depois de Tiago Galhardo, do Internacional, com 15; Marinho, do Santos, com 12, e Pedro, do Flamengo, com 10.  Cano fez 1 x 0 aos 25, com assistência do volante argentino Leo Gil, e 2 x 0 aos 10 do segundo tempo, após o assistente ter marcado impedimento, que o VAR não confirmou.

TRÊS ZAGUEIROS – O Vasco fez boa apresentação, sem ser ameaçado pelo Sport, do técnico carioca Jair Ventura. O técnico Sá Pinto armou esquema com três zagueiros – Werley (Jadson), Marcelo Alves e Ricardo – e deixou os alas Leo Matos (Vinícius) e Neto Borges mais livres. No meio, Leo Gil, Andrey e Benitez (Pikachu), e utilizou quatro atacantes: Talles (Gustavo) e Cano (Tiago Reis). O goleiro Fernando Miguel foi pouco exigido. Quinta (19), o Vasco faz jogo atrasado com o Fortaleza, em São Januário.

EXPECTATIVA – O Vasco subiu do décimo oitavo para o décimo sexto com 22 pontos em 19 jogos – 6 vitórias, 4 empates, 9 derrotas, saldo negativo de 4 gols (22 a 26) – e só voltará ao rebaixamento em caso de vitória, nos jogos de amanhã (16), que completarão a rodada, do Coritiba (20 pontos) sobre o Bahia, em Curitiba, e do Bragantino (20 pontos) sobre o Botafogo, penúltimo colocado, com 20 pontos, no estádio Nilton Santos. O Botafogo também sai do rebaixamento, caso vença, e o Vasco volta.

BOM LEMBRAR – O Vasco só havia marcado três gols e sofrido 15, nas sete derrotas consecutivas antes da vitória sobre o Sport. Na ordem: 0 x 1 Coritiba, 1 x 4 Atlético Mineiro, 0 x 3 Bahia, 1 x 2 Flamengo, de virada, em São Januário, 0 x 2 Internacional, 1 x 2 Corinthians e 0 x 1 Palmeiras. Fora do Rio, o Vasco só havia ganhado (3 x 0) do Ceará, na quarta rodada, em 20 de agosto, vitória que os jogadores e a comissão técnica dedicaram ao aniversário do clube no dia seguinte (21).

HOMENAGEM – Antes de Sport 0 x 2 Vasco, o árbitro Heber Roberto Lopes, de 48 anos, foi homenageado com um cartão de prata por se tornar recordista de atuações no Campeonato Brasileiro, com 296, mais cinco que o ex-árbitro Arnaldo Cezar Coelho, hoje aos 77 anos, que dirigiu seis finais, entre 67 e 81, e foi o primeiro sul-americano a apitar em 1982, no estádio do Real Madrid, uma final de Copa do Mundo: Itália 3 x 1 Alemanha. Heber, natural de Londrina, apitou até 2002 pela Federação Paranaense, e desde então pela Federação Catarinense. Professor de Educação Fisica, foi árbitro FIFA de 2002 a 2017, quando completou a idade limite de 45 anos.