O Cruzeiro abriu o placar logo aos três minutos, mas viu a vitória sobre a lanterna Chapecoense escapar nos acréscimos do jogo deste domingo (13), na Arena Condá, depois que o árbitro ficou cinco minutos à espera do VAR para confirmar o gol do meia Camilo, aos 49. Dedé, de canhota, havia feito o gol do Cruzeiro aos três minutos.

NADA MUDOU – O empate manteve os dois no rebaixamento. A Chapecoense em último com 16 pontos – 3 vitórias, 7 empates, 15 derrotas – o que mais perdeu – e saldo negativo de 20 gols (19 a 39), e o Cruzeiro, em décimo oitavo com 22 pontos – 4 vitórias, 10 empates, 11 derrotas – e saldo negativo de 14 gols (19 marcados, 33 sofridos).

CHAPECOENSE – João Ricardo, Bryan (Renato, 36 do segundo tempo), Douglas, Rafael Pereira e Bruno Pacheco; Elicarlos, Roberto, Camilo e Vini Locatelli (Arthur Gomes, 9 do segundo tempo); Regis (Diego Torres, 25 do segundo tempo) e Henrique Almeida. Técnico – Marquinhos Santos. O próximo jogo é com o Palmeiras, quarta (16), em São Paulo.

CRUZEIRO – Fábio, Edilson (Weverton, 20 do segundo tempo), Dedé, Fabrício e Egídio; Henrique, Ederson, David (Ariel Cabral, 38 do segundo tempo) e Tiago Neves; Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha, 23 do segundo tempo) e Fred. Técnico – Abel Braga. O próximo jogo é com o São Paulo, quarta (16), no Mineirão.

DOIS CARTÕES – Boa atuação do árbitro Caio Augusto Max Vieira, da Federação do Rio Grande do Norte, que aplicou apenas dois cartões, no zagueiro Rafael Pereira, da Chapecoense, e no atacante Pedro Rocha, do Cruzeiro. Bom lembrar: Chapecoense e Cruzeiro nunca foram rebaixados à Série B do Campeonato Brasileiro.

Foto: Reprodução