O TÉCNICO LUIS ENRIQUE disse após a eliminação da Espanha, que não conseguiu converter sequer um dos três pênaltis, que pediu aos jogadores, um ano antes da Copa, que treinassem pelo menos 1000 cobranças: “Pênalti não é loteria. Pênalti é competência e o batedor precisa estar preparado para o momento de tensão”.

PELA QUARTA COPA, como havia acontecido em 1986, 2002 e 2018, a Espanha foi eliminada nos pênaltis, depois de não conseguir furar o bloqueio defensivo de Marrocos em 120 minutos. Luis Enrique lamentou: “Fizemos o possível, mas não aproveitamos as chances e paramos em boas defesas do Bono”.

AO ELIMINAR a Espanha, apontada entre as favoritas, Marrocos confirmou a boa campanha da fase de grupos, em que somou mais pontos que Brasil, Portugal e França, ao vencer a Bélgica (2 x 0) e o Canadá (2 x 1). A seleção é dirigida pelo franco-marroquino Walid Regragui, de 47 anos, que jogava de lateral-direito.

O TÉCNICO disse que “o 0 x 0 da nossa estreia com a Croácia, vice-campeã do mundo, mostrou que estávamos preparados para conseguir a vaga”. Ele também opinou sobre o Brasil x Croácia: “Será jogo complicado, por mais que os brasileiros estejam mostrando força. A seleção croata é muito técnica e tem valores”.

MARROCOS 3 x 0 ESPANHA foi o segundo jogo decidido nos pênaltis, após 0 x 0 em 120 minutos, diante de 44.667 espectadores, na noite de ontem (6), no Estádio da Educação, no Catar. O árbitro argentino Fernando Rapallini, com boa atuação, marcou 29 faltas (14 da Espanha) e só fez duas advertências com cartão amarelo.

MARROCOS TENTA ser a primeira seleção da África a chegar às semifinais de uma Copa do Mundo, depois de igualar Senegal em 2002 e Gana em 2010, que conseguiram vaga nas quartas de final. Marrocos e Portugal empataram em 2 x 2, no estádio Kaliningrado, na Copa de 2018, na Rússia.

SERGIO BUSQUETS, meia de 34 anos do Barcelona, igualou-se ao ex-goleiro Iker Casillas e ao zagueiro Sergio Ramos com 17 jogos pela seleção em Copa do Mundo. Busquets estava muito abatido pela perda do pênalti, que o goleiro Bono, do Sevilha, defendeu. Unai Simon, da seleção espanhola, é do Atlhletico de Bilbao.

  • COM OS TRÊS PÊNALTIS PERDIDOS pela Espanha, a Copa de 2022 registra o maior número de pênaltis não aproveitados desde a Copa de 1966 na Inglaterra: 13. Em 33 cobranças, 18 foram convertidas e 13 não aproveitadas. Entre os maus cobradores, Messi, que teve a cobrança defendida por Szczesny, da Polônia, e Lewandowski, que viu o mexicano Ocha defender sua cobrança.

Foto: R7 – divulgação