O Grêmio impôs ao Botafogo a primeira derrota no estádio Nilton Santos e conseguiu, pela primeira vez e pelo mesmo placar de 1 x 0, duas vitórias consecutivas, após ganhar do Fortaleza, sábado (8), em Caxias do Sul.   Com a terceira derrota em oito jogos e sem fazer gol em três, o Botafogo perdeu a chance de se manter em quarto lugar, antes da parada do Brasileirão para a Copa América. Não está incluído o jogo com o Palmeiras, que será julgado na próxima terça (18) pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, na reunião marcada para Salvador, capital da Bahia. 

POUCAS CHANCES – O jogo não chegou a empolgar e só melhorou quando os times voltaram do intervalo e criaram mais chances. No primeiro tempo, a melhor foi a que Diego Tardelli teve logo aos dois minutos, mas parou em boa defesa de Diego Cavalieri. Houve muita troca de passes, mas raras foram as finalizações e assim mesmo sem levar perigo. Paulo Victor, goleiro do Grêmio, não chegou a ser exigido. O Botafogo não teve o ritmo objetivo de outros jogos.

GOL DE FALTA – O Grêmio tomou a iniciativa das ações no segundo tempo e chegou à vitória aos 36 minutos, com o gol do meia Jean Pyerre, de falta, com a ajuda do desvio da bola na barreira, que entrou no canto esquerdo, tirando a chance de defesa do  goleiro. Jean Pyerre, de 21 anos, 1,83m, canhoto, é gaúcho do município de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre e a apenas 20 km da capital. Ele está no Grêmio desde 2018.

BOTAFOGO – Diego Cavalieri, Fernando, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Alex Santana, João Paulo (Yuri, 22 do segundo tempo), Cicero e Luis Fernando (Lucas Campos, 22 do segundo tempo); Erik (Lucas Barros, 40 do segundo tempo) e Diego Souza. O técnico Eduardo Barroca reconheceu que o Botafogo não fez a exibição esperada, mas ressaltou a qualidade do adversário: “O Grêmio tem uma das melhores equipes do Brasil”.

GRÊMIO – Paulo Victor, Leonardo, Michel, Rodriguez (Darlan, 16 do primeiro tempo) e Juninho; Rômulo, Thaciano e Jean Pyerre; Alisson, Diego Tardelli (Pepê, 31 do segundo tempo) e Felipe Vizeu (André, 35 do segundo tempo). O técnico Renato Gaúcho disse que “a vitória vai aumentar ainda mais a motivação do time quando o campeonato recomeçar. O Grêmio não poderia estar na zona de rebaixamento. Era uma posição mentirosa para o que o time joga”.

TRÊS CARTÕES – O árbitro paulista Marcelo Aparecido de Souza, que atua pela Federação Paraibana, teve atuação segura. Os três cartões amarelos que mostrou foram no segundo tempo. Yuri, único advertido do Botafogo, aos 38, por falta no meia Thaciano, que recebeu o primeiro amarelo do jogo, aos 16, por falta em Erik. O outro cartão do Grêmio foi para o atacante André, aos 41, por falta em Alex Santana. R$495.344,00. 15.840 pagantes no estádio Nilton Santos.

DEPOIS DA COPA – O primeiro jogo do Botafogo, pela décima rodada, será no Mineirão com o Cruzeiro. Depois, o time fará dois jogos consecutivos no Rio: com o Santos, no estádio Nilton Santos, e com o Flamengo, no Maracanã. O Grêmio jogará em Porto Alegre com o Vasco e depois terá o Grenal, na Arena Beira Rio, e o jogo com o CSA, em Maceió. Fora de casa1 x 1 com Avaí, 0 x 0 com Corinthians, 1 x 2 com Ceará e 0 x 1 com Bahia. O 1 x 0 no Botafogo foi a primeira vitória como visitante.

ROUPA NOVA – O Botafogo anunciou antes do jogo que voltará a usar uniforme Kappa, após dez anos com a paulista Topper. Kappa é italiana, fundada em 1916 em Turim, e em 2020 também vestirá o Clube do Remo, de Belém do Pará. O Botafogo, no estádio Nilton Santos, ganhou 3 x 2 do Bahia e 1 x 0 do Fortaleza e do Vasco. Como mandante, levou o jogo com o Palmeiras para Brasília, onde perdeu (1 x 0), mas o resultado depende do julgamento da próxima terça (18).

Foto: Lucas Uebel/Grêmio