O Grêmio ficou bem perto de sua oitava final da Copa do Brasil, ao vencer (2 x 0) o Atlético Paranaense na noite de ontem (14), em Porto Alegre, o que lhe dá a vantagem de poder perder por um gol o jogo de volta, em Curitiba, dia 4 de setembro, quando o Internacional ficará com a outra vaga se empatar, em casa, com o Cruzeiro, a quem venceu (1 x 0) no jogo de ida em Belo Horizonte.

BEM JUSTO – O resultado da Arena Grêmio foi bem justo porque o campeão gaúcho se apresentou mais objetivo e marcou um gol em cada tempo. André, de cabeça, após cruzamento de Everton, aos 24, e na volta do intervalo, Jean Pyerre, aos 27, em cobrança de falta no canto esquerdo. Alisson e Diego Tardelli perderam chances claras de aumentar.

DOIS FORA –Everton, do Grêmio, por falta em Rony aos 33, e Leo Pereira, do Atlético, por puxar André pela camisa aos 46, estão suspensos do jogo de volta. Os outros dois cartões, também no primeiro tempo, foram dados a Kannemann aos 30, por reclamação, e Rony aos 36, por reclamação. O árbitro Marcelo de Lima Henrique, da Federação do Rio, teve atuação segura e acertou em não marcar pênalti do goleiro Santos em André aos 39.

R$1.931.786,00. 40.175 pagantes, em noite fria em Porto Alegre. A maioria dos jogadores usou luvas, principalmente na volta do intervalo, quando a temperatura caiu de onze para oito graus na Arena Grêmio. O Atlético foi muito mal nas finalizações, sobretudo de meia distância, e o jogo teve bom nível técnico e disciplinar, com o Grêmio sempre melhor.

GRÊMIO – Paulo Victor, Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Mateus Henrique, Maicon, Jean Pyerre (Thaciano, 33 do segundo tempo) e Everton; Alisson e André (Diego Tardelli, 23 do segundo tempo). Técnico – Renato Gaúcho. O Grêmio participa das semifinais pela décima quarta vez e ganhou cinco títulos em oito finais. Se for campeão, iguala o Cruzeiro, maior vencedor da Copa do Brasil com seis títulos.

ATLÉTICO – Santos, Jonathan, Lucas Halter, Leo Pereira e Marcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Lucho Gonzalez (Bruno Nazário, 31 do segundo tempo); Marcelo Cirino (Vitinho, 44 do segundo tempo), Rony e Marco Ruben (Nikão, 20 do segundo tempo). Técnico – Tiago Nunes. O campeão paranaense só foi finalista de uma Copa do Brasil, que perdeu para o Flamengo em 2013.

BOM LEMBRAR – A última vez que dois times da mesma cidade decidiram a Copa do Brasil foi em 2006, quando o Flamengo ganhou o segundo de seus três títulos, ao vencer o Vasco – 2 x 0 e 1 x 0. O possível primeiro GRENAL para decidir a Copa do Brasil 2019 está já agitando os torcedores gaúchos. As datas das finais serão 11 e 18 de setembro.

Foto: Tribuna do Paraná