Em jogo de dois pênaltis e dois gols anulados, o Internacional manteve a liderança isolada, mas perdeu os 100% de aproveitamento como mandante, ao ceder o empate (2 x 2) ao Bahia, que completou cinco jogos sem vencer, na tarde de ontem (6), na Arena Beira Rio, em Porto Alegre. O Internacional também continua com o ataque mais positivo (13) e o artilheiro do Brasileiro 2020, Tiago Galhardo (6), que deu assistência para o primeiro gol e marcou o segundo.

EQUILIBRADO – O empate na Arena Beira Rio refletiu bem o equilíbrio do jogo, que o Bahia começou ganhando com o gol de Rodriguinho, aos 20, mas o Internacional empatou, aos 28, completando de cabeça o cruzamento de Tiago Galhardo. Os dois gols anulados, ambos por impedimento e com acerto, sem ajuda do VAR, foram os de Gilberto, do Bahia, aos 42, e de Tiago Galhardo aos 44 minutos. Mesmo sem razão, baianos e gaúcho protestaram contra a arbitragem. Para não perder o hábito.

PÊNALTIS E VAR – Os dois gols do segundo tempo foram de pênalti, mas só o do empate final do Bahia, aos 44 minutos, precisou da confirmação do VAR porque o lateral Rodinei fez a falta no atacante Elber, do Bahia, fora do lance, aos 52, dois minutos antes do final do tempo de acréscimos de nove minutos. No lance do segundo gol do Internacional, o pênalti do volante Gregore no zagueiro argentino Victor Cuesta, que Tiago Galhardo converteu com categoria, aos 23, foi muito claro, sem precisar do VAR.

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba, Saravia, Zé Gabriel, Victor Cuesta e Uendel (Rodinei); Edenilson, Johnny (Moledo), Boschillia (Marcos Guilherme) e D’Alessandro (Peglow); Patrick (Abel Hernandez) e Tiago Galhardo. Técnico – Eduardo Coudet. O Internacional tem 17 pontos em 8 jogos – 5 vitórias, 1 derrota, 2 derrotas, saldo de 8 gols (13 x 5) -, e fará os dois próximos jogos como visitante, quinta (10), com o Ceará, na Arena Castelão, e domingo (13), em Goiânia, com o Goiás.

BAHIA – Mateus Claus, Nino, Ernando, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Ronaldo (Edson), Daniel (Rossi) e Rodriguinho (Fesin); Elber e Gilberto (Clayson). O time foi dirigido por Cláudio Prates, de 54 anos, ex-atacante, gaúcho de Rosário do Sul, na fronteira Oeste do estado, a 390 km da capital Porto Alegre, que está como interino, após a demissão do técnico Roger Machado. O Bahia é décimo segundo, com 9 pontos em 7 jogos – 2 vitórias, 2 derrotas, 3 empates, saldo negativo de dois gols (10 a 12) -e faz os próximos jogos em Salvador, quinta (10), com o Grêmio, e domingo (13), com o Atlético Goianiense.

CINCO CARTÕES – O árbitro Braulio da Silva Machado, de 41 anos, da Federação Catarinense e do quadro nacional da CBF, advertiu com cartão amarelo dois do Internacional Zé Gabriel e Rodinei, e três do Bahia Nino, Gregore e Ronaldo. Correto na anulação de um gol de cada time e na confirmação dos dois pênaltis, no primeiro, de Gregore, do Bahia, em Victor Cuesta, sem precisar do VAR.

Foto: Gaúcha ZD