Pela primeira vez, o Flamengo só marcou 1 gol em 28 jogos. Foi a mais magra vitória do virtual campeão brasileiro de 2019, com a vantagem de 10 pontos mantida sobre o vice-lider Palmeiras (67 a 57), ao faltarem 10 rodadas. Do lado oposto da classificação, o CSA continua em antepenúltimo, com 26 pontos, ao sair do Maracanã com a décima quarta derrota em seu décimo quinto jogo sem fazer gol.

TERCEIRO – O Flamengo tem os dois primeiros artilheiros do Brasileirão 2019 – Gabriel, com 19, e Bruno Henrique, com 12 -, mas quem decidiu o jogo deste último domingo (27) de outubro, no Maracanã, foi o uruguaio Giorgian De Arrascaeta, que divide com Gilberto, do Bahia, e Wellington Paulista, do Fortaleza, com 11, o terceiro lugar dos artilheiros.

LÚCIDO – Já escrevi algumas vezes e vou repetir: considero Everton Ribeiro, o mais lúcido do elenco do Flamengo. É sob medida para o meio-campo, a chamada área de raciocínio do jogo. Tem domínio perfeito da bola, excelente sentido de colocação, preciso nas assistências e nas finalizações. Foi assim, quando entregou a bola para Arrascaeta marcar aos nove minutos do primeiro tempo.

IRRITADO – Agitado, desde sempre, assim que estreou. Irritado, pela primeira vez. Jorge Jesus mostrou que tem pavio mais curto do que se imagina, quando as coisas não são como espera. Foi o primeiro jogo, desde que assumiu, em que fez duas substituições simultâneas, aos 25 do segundo tempo.

SEM SURPRESA – O carioca Diego Alves voltou a mostrar qualidade. Tem duas das virtudes mais marcantes que um goleiro pode ter: sentido de colocação e defender com simplicidade. As chances claras que Apodi e Dawhan tiveram para marcar, ele soube evitar com muita precisão. É preciso que se mantenha inspirado para a grande final com o River.

SÓ FREUD EXPLICA – Flamengo x CSA, com 65.649 pagantes, quatro dias após o Flamengo passar à final da Libertadores, só Freud explica. Essa frase, do médico e neurologista austríaco, criador da psicanálise, surgiu porque Sigmund Freud entendia que as doenças nervosas têm origens psicológicas e não fisiológicas. Um recorde difícil de ser analisado.

FLAMENGO – Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Thuler e Filipe Luis; Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Reinier, 25 do segundo tempo) e Arrascaeta (Vitinho, 25 do segundo tempo); Gabriel (Vinícius, 47 do segundo tempo) e Bruno Henrique. Com 67 pontos – 21 vitórias, 4 empates, 3 derrotas, 58 gols pró e 22 contra -, o Flamengo joga quinta (31) com o Goiás, no Serra Dourada, e volta ao Maracanã para jogar domingo (3) com o Corinthians.

CSA – João Carlos, Celsinho, Alan Costa, Luciano Castan e Carlinhos (Alecsandro, 35 do segundo tempo); Nilton (Jean Cleber, 15 do segundo tempo), Dawhan e Jonatan Gomez (Euler, 26 do segundo tempo); Warley, Ricardo Bueno e Apodi. O técnico Argel Fucks diz que o time, antepenúltimo com 18 pontos, precisa de seis vitórias e um empate para não ser rebaixado. O próximo jogo é com o Corinthians, quarta (30), em Maceió.

TRÊS CARTÕES – Rodolfo Toski Marques, da Federação Paranaense e da FIFA, só advertiu três com cartão amarelo. O meia Gerson, único do Flamengo, por falta dura no argentino Jonatan Gomez. O goleiro João Carlos, por demorar na reposição da bola, e o atacante Apodi, por falta em Gerson. R$3.735.850,25. 65.649 pagantes. 69.846 presentes.

Foto: Metrópoles